segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Meus defeitos falam por mim

Meus defeitos falam por mim

Ronaldo Magella – professor, poeta, escritor, blogueiro, radialista, jornalista e mais nada

Há mais verdade em meus defeitos do que em minhas qualidades.

Existe mais amizade por mim nas pessoas que não gosta de mim, do que nos meus amigos mais próximos e sinceros que calam meus defeitos e enaltecem o que conseguem perceber de melhor em mim.

Quem fala mal de mim, me conhece, sabe dos meus erros, quem me elogia desconhece quem sou, quem diz as minhas falhas teve tempo de me estudar, quem só reconhece minhas qualidades jamais soube realmente quem sou.   

Não sou o que tenho de melhor, sou aquilo que ninguém aguenta, o meu pior, quando dizem que não presto, soa mais natural e sincero do que quando afirmam que sou um cara legal.

 Há mais sinceridade em minhas más tendências do que em tudo aquilo que já fiz de bom, desconfio de quem me elogia, me aplaude, de quem sorrir pra mim, a verdade está em quem não gosta de mim, quem não vê com bons olhos consegue me perceber mais e melhor.

Quem não vai com a minha cara sabe o que tenho de pior, sabe o que em mim é real, verdadeiro e puro, quem só vê mim motivo de alegria, não chegou perto o suficiente, não quis me vascular, está ao redor, na periferia, não adentrou mesmo no meu âmago, não sabe do meu lado sombrio.

Se alguém me pergunta como sou, prefiro dizer o que não sou, quando me perguntam do que gosto, acho melhor dizer aquilo que não me satisfaz, não sou o que tenho, fiz, mas a minha ausência, meus vazios, erros, defeitos, falhas.

Ninguém quer mesmo saber quem sou, como sou, mas o que ainda não possuo, pois minhas qualidades são obrigações, enquanto meus defeitos são manchas que trago comigo estampada na minha testa.

Todos esquecem o que tenho de melhor, e sempre vão lembrar daquilo que não gostam de mim, mil coisas boas não se sustentam diante de um erro, de um defeito, tudo o que tenho de melhor jamais será mais importante do que a única coisa que tenho de pior.

Minha melhor apresentação será a minha pior frase, fala, o meu maior desastre, o meu melhor problema, meus defeitos saltam aos olhos dos outros, mas do que as minhas conquistas, pois é assim, meus defeitos falam por mim, enquanto que minhas qualidades apenas escondem o que tenho de pior.

Quem quiser me saber, me conhecer, não irá me decifrar pelo que tenho de melhor, mas pelo que sei fazer e sou de pior, pois meus defeitos falam por mim e dizem quem sou, como sou e o que alguém poderá ter de mim.


Uma vida sem amor

Uma vida sem amor
Ronaldo Magella – professor, poeta, escritor, blogueiro, radialista, jornalista e mais nada


“Já casei sabendo que ela não era o homem da minha vida, que não o amava”. Não é a primeira vez que ouço uma declaração assim, e por mais que uma vida sem amor seja de longe o nosso amor medo, parece que é uma coisa que vivemos mais do que podemos imaginar ou fugir, algo comum que acontece com muitos de nós, uma prisão da qual nos jogamos e muitas vezes não conseguimos jamais sair. Talvez por vários motivos, precisamos de afetos, de gente, de calor, temos medo da solidão, e a gente já vive sem tantas coisas, sem a chamada perfeição e então, acredito, que vamos aos poucos nos deixando assim também viver, sem amor, há companhia, sexo, compartilhamento de contas, divisão de tarefas e meio que por alguns momentos vamos deixando de lado nossos sonhos de amor, nosso romantismo, de ilusão, nosso sonhos, mas ainda assim vivemos, vazios e ocos, machucados e limitados, sorrisos tortos e olhares incompletos, coração em ritmo menor, mas vivos, ou mortos vivos, e vivendo, o que talvez seja a maior dor, vivendo o que podemos, não o que gostaríamos. Chegam os filhos, a esperança de que algo possa mudar, acontecer, virar a página, mas não. A vida é implacável com as nossas certezas, para muitas pessoas sucesso, dinheiro, saúde, paz, todas as coisas juntas podem nos fazer viver, mas elas jamais irão preencher a lacuna deixada por um grande amor, por uma paixão, pela felicidade de encontrar alguém a quem  possamos dizer sem vacilar ou ter medo, “eu te amo, sou feliz ao teu lado”, e é isso que todos nós buscamos, encontrar esse tão sonhado amor, e seja ilusão, invenção, criação ou não, nada pode substituir um afeto de tal magnitude, nem mesmo os filhos, já que estes também cedo ou tarde estarão nessa busca incansável, irão embora, construirão seus caminhos e ficaremos sós, novamente envoltos com a nossa própria existência e pensando e desejando a felicidade de uma grande história, de amor. E não resta dúvida, é a maior força do universo, essa esperança é que nos fazer ir, mas chega a cansar e doer de tanto esperar, então, entendemos quando nos dizem, nunca o amei, ela não era o que eu esperava, mas enfim, estou aqui! - pois nem todo mundo tem coragem e força para ir atrás dos seus sonhos e desejos, muitos querem apenas que a vida passe logo e que possam viver com alguém, sozinhos jamais, pois sabem que é um sofrimento ainda maior, solidão é para gênios, pessoas comuns precisam de afetos, e amor é uma necessidade, não é pra quem acredita, precisa, é como o ar, é nosso alimento, precisamos de amor, dos amigos, dos filhos, da família, mas essencialmente precisamos do amor de alguém que possa estar ao nosso lado, dividir nossa vida, alguém que nos cuide e alguém de quem podemos cuidar, alguém que se possa viver por vontade e desejo, por carinho e dedicação, e sabemos que podemos viver com outras pessoas, pessoas a quem não amamos, que podemos respeitar, fazer amor, ter filhos, sorrir, mas sabemos que não será a mesma coisa, não será um amor de verdade, muitas vezes é mais amizade, enxergamos a outra pessoa como um amigo, uma amiga, até mesmo um sentimento filial, vamos pra cama, nos beijamos, mas falta algo, não está completo, não é tudo, não é vida, não tem amor. Somos como, sem amor, caminhantes solitários num mundo sem sabor, cor, apenas seguimos o fluxo, não sentimos a passagem, pouco importa o destino, queremos apenas chegar, que o fim aconteça, venha logo, nos entretemos com outras coisas, trabalho, filhos, religião, mas sabemos que de noite quando nos deitamos, quando o cansaço nos chega, nos bate, percebemos então que não temos de onde encontrar forças para continuar, suspiramos e almejamos que aquele amor pudesse estar ali ao nosso lado e que bastava olhar e pronto, o mundo acontecia, tudo se renovava, nos bastava. 

domingo, 29 de setembro de 2013

Ontem era amor, hoje não mais, mas foi amor

Ontem era amor, hoje não mais, mas foi amor

. Ronaldo Magella – professor, poeta, escritor, blogueiro, radialista, jornalista e mais nada


Um aluno me perguntou, professor, o que o senhor acha de uma pessoa, mulher, que um dia te diz “eu te amo” e no outro já não te quer mais, isso é possível? Bem mais do que possível, é real,  e quero acreditar que isso existe e que sim, foi real, sincero, intenso e verdadeiro o amor que ela disse sentir por você quando o disse. Talvez ela o amasse mesmo na hora em que disse, eu te amo, e aquilo naquele momento, no instante, na hora, sim, foi sincero e ela estava mesmo te amando, mas ainda quero acreditar e acho que isso é possível, mais do que possamos entender e imaginar, que ela mudou, ontem ela te amava, hoje não te quer, não que não fosse amor, talvez não o amor que sonhamos ou cultivamos, mas o amor que pronunciamos, falamos, sentimos, um amor, seja qual for, foi um amor, e ela o amou, mas ela também se amou ainda mais e resolveu desistir do amor por você, e aí, não importa o tempo, o dia, a hora, o lugar, a forma, aconteceu, de uma hora para outra, numa noite, em uma semana, em meses, ao longo dos anos, aconteceu, ela amadureceu dentro dela a ideia de que não queria mais, até quis um dia, mas agora não mais, desistiu, sofreu, resolver calar, silenciar, deixar de viver o que sentiu, e repito, quero acreditar e pensar que isso é possível, tanto é que aconteceu contigo, que foi assim, que eis a prova viva do que estamos a discutir. Sim, acredito que ela te amou, e quando o disse, ela foi sincera, mas o amor durou apenas aquele momento, não era amor eterno, amor sublime, mas era amor e ela sentiu, sentiu tanto que disse, verbalizou, materializou o sentimento que estava dentro dela em sonoridade, consentiu e dividiu o que estava a viver no seu universo interior, mas ela viveu um pouco mais, as horas se foram, passaram, e o amor, que nunca temos como medir, nem saber quanto tempo ele irá durar, encerrou-se nessa jornada, desfaleceu-se, cumpriu sua intensidade, foi até onde tinha quer ser, ir e pronto, no outro dia, já não era mais amor, era qualquer coisa, ontem era, hoje não foi mais, e foi assim, é assim, quero acreditar que pode ser assim, aconteceu com você, com outros, com muitos, a vida não é inédita, não há nada de novo sob o sol, estamos apenas vivendo o que já foi vivido, o presente é uma reedição do passado, e logo mais no futuro estaremos a viver o que agora estamos passando, e poderá até ser amor, mesmo que não seja eterno.

A felicidade é não ter medo

A felicidade é não ter medo

. Ronaldo Magella – professor, poeta, escritor, blogueiro, radialista, jornalista e mais nada

O feliz não teme o seu sorriso, a sua alegria, não esconde o seu lado bom, o seu bom dia, não nega a sua paz, não esconde o seu olhar, gente feliz conversa, fala, se faz presente, se mostra vivo, a sua felicidade é como o sol, brilha, se espalha, esquenta, é pra todo mundo.

O feliz abraça, vai junto, volta quando precisa, ele apenas vive, faz parte, reza, chora rindo, rir da própria derrota, acha graça em tudo, ama tudo e todos, não se perde, não se trava ante o contrário, não resmunga dissabores, não guarda contratempo, ele tem esperança de esperançar, acredita, não desanima, ele é apenas feliz e nada pode mudar isso e nem ninguém pode lhe quebrar o que sente, o encanto.

O feliz é feliz por ser quem ele é, não inveja o outro, a sua grama é a sua grama, não deseja o que o outro tem, já aprendeu a desenvolver e melhorar o que tem de melhor, não espera o que não tem, realiza-se com o que possui.

Gente feliz não tem medo de sofrer, de perder, aliás, a felicidade é não ter medo, é apenas acreditar, apenas confiar e isso basta, gente feliz não tem medo do outro, de entregar-se, não sofre por antecipação, não desanima na véspera, não desiste no meio, não reclama no final, não agride quando erra, não erra pra magoar, machucar, não sucumbe diante da dor, se ergue quando caído, se levanta quando no chão, se encontra quando perdido.

O feliz não se nega para o outro, entrega sempre o seu melhor, sua paixão é dividir, contagiar, tomar de assalto a tristeza do outro e transformar em alegria, o alegre pulsa paixão, suspira e transpira emoção, semeia amor, empresta afeto, não tem medo, ele enfrenta, segue confiante no futuro, no próximo destino, foi uma decisão, decidiu ser feliz e nada nem ninguém poderá afetar isso, foi uma escolha, uma resolução, uma conclusão, serei melhor e mais feliz, haja o que houver, e então, agora é o que lhe resta.

O feliz não mede antes de começar, ela faz o que precisa ser feito, não se cansa antes do trabalho, nem morre antes de nascer, não volta antes de ir, não para depois de iniciar, o feliz continua, vai, e indo consegue, ele sabe esperar sorrindo, sofrer aprendendo, chorar prosseguindo, ser feliz é não saber parar, é apenas ir para não mais voltar. 

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Não sei e quero saber menos ainda


Não sei e quero saber menos ainda.

Ronaldo Magella – professor, poeta, escritor, blogueiro, radialista, jornalista e mais nada

Não sei e quero saber menos ainda, decidi não saber, estou melhor, feliz, mas calmo, algumas coisas, aprendi isso, não precisamos saber, não há necessidade, melhor ignorar e não conhecer, devo admitir, a ignorância é um santo remédio contra as dores do mundo, contra as angustias do homem moderno, quanto mais informação, mais aflição, mais dor, mais tristeza, basta, tá bom, já temos informações demais, precisamos agora de viver, sentir, olhar, observar, pensar, precisamos de outras coisas, já sabemos de coisas demais e decidi não saber, não ver, não olhar, nem espiar, não quero que ninguém me diga, não toco no assunto, não falo, não sonho, suspiro, silenciou, calo, ignoro, paro, basta, foi, já era, pronto, assim fico mais leve, estou voando, conhecer muitas vezes é procurar dor pra si mesmo e tem gente que vive catando sofrimento querendo saber aquilo que sabe que não irá suportar, só quero saber daquilo que posso comportar, levar comigo, certos conhecimentos e informações deixo para os outros, não os quero comigo, que passem, um dia talvez tenha coragem de saber, mas por enquanto, basta, já foi o suficiente. E assim vivo melhor, como disse, não sei e quero saber menos ainda.


Apenas fui...

Apenas fui...

Ronaldo Magella – professor, poeta, escritor, blogueiro, radialista, jornalista e mais nada

Eu nunca disse que iria, mas nunca te falei que poderia ficar, foi o teu não, o teu silêncio, a tua ausência que me provocou o sentimento de adeus, de ida, de não mais voltar, até ficaria e ao teu lado esperaria a primavera, as flores, a água da chuva, uma noite de luar, uma estrela cair, o mundo partir, a vida findar, nosso amor se acabar, mas tu nunca me pediu pra ficar, nem nunca me disse pra não ir, foi a tua liberdade que não me prendeu, queria estar preso, aferrado aos teus afetos, acorrentado ao teu sentimento, preso ao teu pensar, e em teu jardim sempre pousar, na tua casa ir e ficar, em ti nunca mais sair, e tu, porém, tu, apenas não me disse nada e essa minha necessidade de encontrar, de correr, saltar, pular, sorrir, viver, amar,  sempre foi mais forte em mim, e me levou para outra vida viver, deixo para ti o meu melhor, nossos momentos, a saudade que sinto, o amor que nutro, a paixão que converso, o gostar que não acaba, a esperança que maltrata, a ilusão de um reencontro, é tudo, um bilhete com mancha de café, um livro riscado, uma música qualquer que fale de amor, um filme antigo, um fim para um novo começo. 

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Quero tudo por ela

Quero tudo por ela

Ronaldo Magella – professor, poeta, escritor, blogueiro, radialista, jornalista e mais nada


Quero que o primeiro bom dia dela seja o meu, quero saber o que ela fará durante todo o dia, como foi a sua aula na faculdade, o que ela comeu no almoço, o que fará pela tarde, quero envolvê-la com a minha atenção, quero saber como foi o dia, que o seu último boa noite seja meu, que ela me conte a sua tristeza, me fale do seu cansaço, me declare a sua alegria. Quero que ela possa contar comigo quando precisar, que possa dizer do seu abuso, da sua raiva, que grite comigo e depois me peça desculpa e me diga para perdoar, a perdoarei, quero que ela me avise da sua TMP e me peça pra correr, pois descontará toda a sua dor em mim, ficarei, sorrindo, achando graça quando ela me disser que quer me matar, me dá uma pisa, pular em cima de mim e me bater, pois sei que ela não irá fazer isso comigo, vou esperar o seu momento passar, terei esperança, de saber esperar pelo seu melhor, não desisto, não canso, fico, espero, sento, aguardo. Quero que ela confie em mim, quero cuidar dela quando ela não estiver perto, resolver suas coisas, proteger sua vida, arrumar sua bagunça, varrer o seu lixo, guardar sua lembranças, sua coleção, sair por ela, ir a algum lugar quando ela precisar, pedir, mandar, quero esperar quando ela assim o desejar, paciente, quero tê-la ao meu lado, com a minha atenção, com o meu cuidado, quero esperá-la com um sorriso fácil, uma rosa simples, um abraço apertado, quero pedir que ela não vá, que fico mais um pouco, quero prendê-la mais dez minutos, beijar sua boca, cheirar seu perfume, tocar sua pele, quero dizer que estou com saudade quando ela sair, 30 segundo depois, quero dizer que já sinto a sua volta, que espero que ela volte, que tenho desejo e vontade dela, que estou ansioso pela sua volta, que vou esperar, que quando ela chegar farei algo especial pra ela, a sua comida preferida. Quero fazer surpresas pra ela, em dias normais, poesias, crônicas, o meu melhor, quero ir ao encontro dela, lhe presentear, te ofertar a minha segurança, o meu afeto, o meu carinho, a minha felicidade, quero poder entendê-la, compreender o seu não, aceitar o sim, esperar pelo seu talvez, escutar suas vírgulas, decifrar os seus códigos, adivinhar seus desejos e calar os seus sorrisos, quero tudo, por ela tudo, por mim, por nós, quero poder ser tudo e tudo por ela ser, quero apenas o que me permitir, deixar, desejar, o tudo que possamos ser, fazer, ser, ter, viver, apenas o tudo e nada mais que tudo. 

Não dá pra amar alguém que não sabe te perdoar

Não dá pra amar alguém que não sabe te perdoar

Ronaldo Magella – professor, poeta, escritor, blogueiro, radialista, jornalista e mais nada


Não dá pra amar alguém quem não pode ou consegue te perdoar, quem não te concede uma segunda chance, uma décima oportunidade, quem te tranca as portas, fecha as janelas, interrompe o caminhar, quem não percebe o seu amor, o teu afeto, e que você está disposto a mudar, se transformar, ser melhor, não dá pra amar a alguém que não acredita em você, que não acredita que tu irás mudar, ser outro, que tudo pode ser diferente, melhor, maior, não dá pra amar alguém quem não entende a tua entrega, a tua dor, quem não enxuga as tuas lágrimas e não está disposto a caminhar contigo mil passos e voltar para recomeçar tudo outra vez só por ser bom estar ao seu lado, quem não te espera, não dá pra amar alguém que se cansa de você, desiste, perde a esperança, alguém que não vê além do momento, da sua hora, do seu passado e do seu presente, quem não consegue esperar pelo dia seguinte, que não sabe ler o que tu sentes, as tuas atitudes, teu olhar triste, quem não reconhece suas qualidades, quem não sabe esperar pelo seu melhor, não dá pra amar alguém que apenas te olha e não te sente, não te percebe, não te vê, não te consome, engole, mastiga, não dá pra amar alguém que quer apenas o teu melhor e se afasta dos teus defeitos, quem não quer sofrer junto a ti, pois amar requer serviço completo, dor e amor, risos e lágrimas, não dá pra amar alguém que não come o pão ao teu lado, quer apenas a tua sobremesa, não dá pra amar alguém que não vela o teu sono, não te acorda pela manhã, não te cuida, protege, que não derrama suor contigo, toma o choro, verte uma lágrima, não dá pra amar alguém que espera sempre pelo teu sorriso e foge do teu choro, que só te abraça após o banho e não sente o teu cheiro de um dia comum, normal, não dá pra amar alguém que não te compra brigas, que se esconde do teu pior, que só espera a tua perfeição, que não sabe te dizer sim, às vezes não, que não te descobre por inteiro, que se prende apenas aos detalhes e não te come por completo. Não dá pra amar alguém que só te ama quando você está presente, que não se importa com a tua ausência, que não te sentes saudades, que não te reclama a tua atenção, que não se importa  com você, não dá pra amar alguém que te entrega silêncio, que apenas te diz não, que não compartilha a mesma vida com você, que não sabe dividir uma vida, somar uma experiência, te ensina, te muda, alguém para acrescentar algo a mais em ti e na tua existência, não dá pra amar alguém que só te subtrai, que não multiplica, que não te provoca desejo, vontade, que não te causa calafrios, fastio, insônia, não dá pra amar alguém que te cause tristeza, solidão, angustia, que te seja indiferente, que não se apresente ao teu olhar, que não te roube flores e não sorria com o teu jeito e que não se sinta feliz por ti. Não dá pra amar alguém que não pense em você, que durma e acorde sem lembrar de ti, que te esquece, finge, e acha melhor ficar longe de você, que não te suporta mais, não te quer, aguenta, não dá pra amar alguém que não revive tuas lembranças, que não pensa em voltar, que não quer conversar com você, te entender, não dá pra amar alguém que quer apenas o teu prazer, o teu melhor e não te leva com tudo, não dá pra amar alguém, não dá, só espero que alguém leia, caso contrário, não dá pra amar alguém que não te leia e não te sinta, entenda, perceba a tua sinceridade, o teu desnudamento, o teu amor, o teu amor, o meu amor, o meu amor, o meu amor.

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Amarei mais e melhor

Amarei mais e melhor
Ronaldo Magella – professor, poeta, escritor, blogueiro, radialista, jornalista e mais nada


Agora não será ela quem irá me pedir um beijo, sou quem irá beijá-la, sou quem irá encontrá-la com um abraço, com um sorriso, não vou esperar que ela diga que esteve com saudade, me antecipo, afirmo que estou absurdamente carente dela, que a preciso ao meu lado, que estive pensando nela, que gostaria de vê-la, sou quem irá buscar a mão dela para junto da minha, que darei o primeiro passo, que indicarei o caminho para irmos de mãos dadas, que não a soltarei por nada, estarei ali firme do lado, sou quem irá sentir o perfume dela antes que chegue perto de mim, que irei acariciar os seus cabelos e levemente beijar a sua face, vou puxá-la para perto de mim, vou fazê-la se sentir amada, especial, querida, desejada, não vou me importar com os seus defeitos, nem criticar, vou apenas sorrir, como quem compreende, entende e aceita a sua diferença, a sua humanidade, vou perguntar sobre o seu dia, dedicar minha atenção a ela, querer saber dela, sobre ela, pedir que me fale, que me deixa escutá-la, que não me entregue o seu silêncio, mesmo quando chegar em casa odiando o mundo, me fale, diga, grite, mas me dedique a sua voz, que me converse sobre coisas banais, que fale besteira e que me faça sorrir. Não vou deixar que ela peça, adivinharei o desejo dela, farei suas vontades, a tornarei a rainha do meu reino, a dona do meu coração, não vou esperar que ela peça carinho, um beijo, um abraço, não há mais tempo para pedir, o momento é de doação, não irei sufocá-la, mas irie demonstrar amor, o amor, o que sinto, nutro, carrego, tenho, alimento, o amor,  o carinho, a paixão  precisa ser vista, sentida para o que o outro se sinta seguro, mostrarei que com ela sou  completo, perfeito, infinito, violentamente feliz e finalizado,  que meus olhos e minha vista são dela, estarão com ela, que meu pensamento é uno em torno dela, que meu coração a ela pertence, como minha alma canta por ela em cada momento da minha vida, amarei mais e melhor, um abraço no silêncio de depois, de nós dois, um beijo ao amanhecer, um sorriso pelo dia, uma declaração ao anoitecer, uma sugestão ao fim do dia. Amarei mais e melhor, com a alma, com o coração, serei gentil, atencioso, prestativo, cúmplice, amigo, companheiro, amante, dedicarei poesias e versos, mandarei flores e escreverei bilhetes, farei surpresas e cantarei canções, teremos nossa música e leremos juntos, jantar a luz de velas, sonhos realizados, desejos saciados, contaremos segredos e sorriremos da vida, nos acharemos ridículos por estarmos apaixonados, e ficaremos com raiva por quase um segundo, depois nos amaremos mais, relembraremos mil vezes o nosso primeiro encontro, o nosso primeiro beijo, acharemos graça nos jogos de amor e sedução que criamos e nas armadilhas que sucumbimos, resolveremos problemas, estaremos juntos, nos apoiando, nos perdoando, nos melhorando, nos eternizando. Amarei mais e melhor, seremos alimento uma para o outro, amor tranquilo, com sabor de fruta mordida,  a falta será a nossa certeza de que realmente nos gostamos, a saudade a verdade que precisamos sentir para nos encontrarmos, estarei atento, lembrarei datas, contarei histórias, pedirei para que ela me faça uma promessa, de não perder esse jeitinho, de falar bem de mansinho essas histórias que ela conta, que não deixe morrer o seu sorriso meigo e doce, e que mesmo com raiva não desista de mim, não me esqueça, serei sempre eternamente grato, por ela me deixar amar mais e melhor. E amarei mais e melhor, para que ela não se sinta carente, sozinha, solitária, estarei sempre ao lado dela e que me permite dedicar todo esse amor que sinto por ela, é apenas o que peço, amar mais e melhor. 

Quando ela diz não, é não, e me ensina a ser sozinho

Quando ela diz não, é não, e  me ensina a ser sozinho

Ronaldo Magella – professor, poeta, escritor, blogueiro, radialista, jornalista e mais nada


Não discuto mais, foi uma decisão que tomei, aceito e pronto, não preciso de mais nada, não tenho mais tempo para argumentar, persistir, cansei, resolvi tomar outro caminho, simplicidade e leveza, quando ela diz não, é não, ela decidiu, está decidido, apenas confirmo o que acabei de saber, cumpro a minha resignação com obediência e silêncio, ela diz não, não posso, não quero, não dá, pronto, seremos felizes de outra forma, não precisamos nos envolver em discussões infantis e inúteis, sei dos seus limites, só preciso entender isso, amadurecer te permite uma nova perspectiva, envelhecer algumas vezes te deixa mais sábio para saber esperar, que o não de hoje poderá ser o sim de amanhã, que a certeza não pode ser obscurecida, que ela irá entender que você tinha razão ou que então tu irás perceber que era ela quem realmente estava certa. Quando um não quer, dois não amam. Não brigo mais, não discuto, nem argumento, sei o que ela pode, e ela precisa saber o que ela deve, proponho, ela quem decide, sempre lhe indico, apresento, mas se ela disser não, pronto, me conformo, não, não é falta de querer, vontade, é respeito, foi que aprendi que as pessoas precisam tomar suas próprias decisões e que podemos viver sozinhos, fazer coisas solitárias, muitas vezes como escreveu a amiga escritora Patrícia Dantas, precisamos de um momento nosso, de um instante pelas ruas da cidade, necessitamos nos pensarmos e pensarmos sobre todo o resto, e quando ela diz não, está me permitindo esse momento sozinho, comigo mesmo, enfim, aprendi a viver sozinho, se quero vou, faço, pego, estarei lá, a convido, mas se ela não quiser ir, vou entender, mas vou viver o que preciso viver, entendo que precisa ser assim, nem me importo que ela viva as suas coisas, tenha os seus momentos, com suas amigas, em seu lazer, entendo agora mais do que nunca que estar perto presente do lado não é uma obrigação, mas um desejo, uma vontade, uma liberdade de estar preso a quem se gosta ama, se curte, se quer, e se alguém prefere não ficar ao meu lado, devo perceber que deve haver coisas melhores e maiores, e isso é entendido de forma clara, sem mágoa ou ressentimentos, amar, gostar não é e nunca será uma obrigação, antes é algo que começamos sem querer e quando nos damos contas estamos submersos e não temos mais como sair, correr, só nos restar viver. Respeito a individualidade dela, acato o seu silêncio, sei esperar por ela, já entendi o mecanismo da vida, como funciona o desejo, como nos chega a saudade, como acontece a paixão, é preciso saber esperar como as pessoas irão funcionar e todos nós temos um funcionamento, como disse a minha amiga poeta Ivanna Shafer, se foi e for importante, voltará, se não foi, terá ido pra nunca mais voltar e devemos apenas nos deleitar com as lembranças daquilo que um dia vivemos, saudade, como dizem, é melhor do que caminhar sozinho, tenho minhas dúvidas, mas enfim, com ela ainda não sinto saudade, saudade é passado, com ela sinto falta, pois vivemos o presente e temos ansiedade pelo futuro, quero saber quando irá acontecer o grande momento, quando saberei que aconteceu, quando estarei me pegando pensando nela no meio de um dia qualquer e quando me darei por conta que estou apaixonado e que é bom essa sensação, quando me verei comprando uma presente pra ela e imaginando uma cena romântica emocionante e ridícula, por fim, entendi que amar é respeitar, cuidar, proteger, mas insistir pode destruir tudo isso, agora sim aprendi a esperar, esperar o sentimento dentro de mim, mas esperar que com ela também aconteça o mesmo, aprendi que a vida é mais intensa e que iremos sentir falta desse viver, que a alegria é a única perfeição que existe, que abraço transmite afeto, que sorrir ajuda a viver, que dar-se um tempo melhora a esperança, que só acontece aquilo que precisa acontecer, que forçar uma vida pode derrubar outras, que amar se aprende amando, que aquilo é bom ficará e volta, que sentimento tem força, poder, que amor pode mudar o mundo, que tu erras, mas não pode ser o erro, que é preciso sempre mudar, e que não precisa te mostrar, as pessoas irão perceber pelo teu novo perfume, pelo teu novo sorriso, pela tua nova face. 

Ser macho é ser educado e sensível

Ser macho é ser educado e sensível
Ronaldo Magella – professor, poeta, escritor, blogueiro, radialista, jornalista e mais nada

Ninguém vai deixar de ser macho se abrir a porta do carro para uma mulher, se a ofertar uma rosa, colher uma flor, declamar uma poesia, dizer bom dia, ser gentil, sorrir, ser educado é uma prova de confiança na própria masculinidade,  desejar boa noite, dormir abraçado, levar café na cama, amar quem te ama, ser meigo, leve, simples é ser homem.

Ninguém perderá sua virilidade se elogiar sua esposa, namorada e a chamar pra dançar em casa num noite de sábado, abrir um vinho, cozinhar pra ela, colocar uma música no ar e deixar a vida acontecer, ninguém deixa de ser macho se a levar no médico, cuidar dela, a proteger, ser amigo, fiel e leal, se a desejar e a admirar, todos dias e a querer sempre mais, sem precisar variar, buscar outras aventuras, ser fiel é prova de que você é macho, homem, não é prova de amor, é confiança em si mesmo.

Ninguém deixará de ser homem se escolher o batom da mulher amada, se for a uma loja e escolher uma blusa pra ela, uma calça, uma roupa, já a imaginando vestida linda pra você e cara dela de felicidade por saber agora você ser capaz de lhe comprar algo, já que ela sempre diz que você nunca saberá comprar nada pra ela.

Você não deixará de ser homem se prestar atenção em suas unhas, elogiar seu corte de cabelo, ficar espiando ela se trocar e ao final lhe dizer o quanto a ama e o quanto ela é bonita, bela, maravilhosa, nem perderá seu título de macho alfa se arrumar a casa, varrer o chão, enxugar a louça, decorar a casa, comprar o almoço de domingo, trocar a fralda das crianças, banhar, cuidados dos meninos.

Confesso, estou me educando, administrando a minha sensibilidade, estou mudando e não vejo nisso nenhum problema, não estou deixando de ser macho, homem, viril, cabra, pelo contrário, estou sendo melhor para quem eu amo, quero, gosto, desejo e sei que ela irá adorar, quero está mais perto, ser mais presente, esquecer os presentes e me dá, dá o que tenho de melhor, que acho, penso, acredito que talvez seja a minha companhia, meus sentimentos, não vou deixar de ser homem se me tornar mais sensível, se perceber melhor a minha namorada, se entender as suas necessidades, os seus problemas, o seu silêncio, entender quando ela quer me dizer um não ou desejar ficar sozinha, quando precisa de mim ou me quer distante, perguntar por ela, como ela está, como foi o seu dia, se precisa de alguma coisa.

Ser macho é saber pedir desculpas, é ser sincero, saber conversar, olhar nos olhos, confessar que errou, aceitar o erro, mudar, ser outra pessoa, se encontrar, promover mudanças, deixar que ela também possa te sugerir, aconselhar, numa relação aberta e franca, dialogada. 


Ser macho, homem, viril, cabra é pode compartilhar com a outra pessoa um mundo, saber conversar, rir, estar sempre ao lado, ser companheiro, se doar e não apenas esperar que a outra venha ao seu encontro, ser macho é saber fazer escolhas, é dividir amigos, dizer que ama, sem medo, que adora, que ela é especial, que ela é a razão da sua vida, o que você tem de melhor, ser macho, homem é saber perdoar, pois quem ama perdoa, esquece, releva, pensa duas vezes, melhor, compreende, entende, ser cabra é saber chorar, derramar lágrimas, se emocionar, deixar que ela entre em sua vida, cuide de você, esteja também ao seu lado, ser homem, macho, viril, cabra é falar como tu funcionas, é também dizer o que te faz bem e o que não te agrada, dividir medos, dores, solidão, angustias, problemas, é se abrir e está aberto na relação, para ela também faça parte da tua vida. 

Quando ela sente saudade

Quando ela sente saudade

Ronaldo Magella – professor, poeta, escritor, blogueiro, radialista, jornalista e mais nada

Gosto quando minha namorada diz sentir a minha falta. Quando me pergunta se estou querendo provocá-la, um dia inteiro sem mandar uma mensagem, e ela me pergunta ao final do dia, queria que eu sentisse a sua falta? Conseguiu seu chato, estou morrendo de saudade, kd tu? Sorrio, e juro, não era a minha intenção, mas acho lindo ela dizer que me sentiu a ausência, ela pensou em mim, me procurou, esperou, eu não cheguei, ela resolveu ir me buscar, é lindo, buscar a quem se ama, sair de encontro, ir ao que é possível. Sentir falta, saudade é igual a dizer que já existe dentro de nós um pouco do outro, que o outro já ocupa um lugar, está ali, e quando ele não está, a gente sente a falta, ganha um vazio, saudade é quando pensamos naquilo que não temos, quem não está ao nosso lado, falta é quando precisamos que o outro preencha a nossa vida, os nossos momentos, ausência é algo que não está no lugar e que nos faz sentir o quanto seria bom se ali estivesse, e a gente sente e sentido procuramos e procurando vamos buscar o que desejamos. Acho lindo quando ela diz que veio me ver, tu achas que vim por que mesmo, pra tomar banho de chuva? Foi por mim, ela me diz com todas as letras, eu vim pra ficar com você seu chato, é uma declaração de amor, ela não precisa dizer eu te amo, só precisa dizer que está com saudade, que quer me encontrar, que sentiu a minha falta, é o mesmo que dizer que seremos eternos um para o outro, quando ela diz que eu poderia estar lá com ela, ela me diz o quanto sou especial e que o quanto me quer ao seu lado, não precisa dizer mais nada, eu entendo o recado, leio seu coração, escuto a sua alma, percebo a sua vontade, sento a sua sinceridade.


Tenho pensado em você...

Tenho pensado em você...

Ronaldo Magella – professor, poeta, escritor, blogueiro, radialista, jornalista e mais nada

Tenho pensado muito em você, um pensamento que a mente, e não mente, não pode conter e resta o coração a sentir. Um pensamento de espera, de esperança que vejo no teu sorriso e encontro nos seus olhos, um pensamento de amor que sinto em você e gostaria de um dia ouvir de suas palavras que brotam dos seus lábios nascentes do seu coração. Tenho pensado muito em você e num pensar choro e riu, lágrimas e sorrisos, cenas de filmes, quadros de museu, seu abraço no meu, sua mão em minhas mãos, tenho pensando em quanto eu poderia te fazer feliz e como seria ser só, apenas teu e de mais ninguém. Tenho pensando em você, meus dias, minhas horas, minha vida a ti entregar, isso já pensei, tenho pensando, meus medos a ti confessar, minha alegria e minha felicidade ser ao seu lado encontrar, tenho pensando em tudo que poderia te dizer para tu nuncas mais esquecer. Tenho pensado em tantas coisas e em tantas coisas pensei que o pensamento sempre volta a você.  Pensamento que foge e escapa se eu deixo e vai encontrar você, corre e lhe procura, tem em ti um refúgio, um abrigo, encontra um amor, um descanso, um ardor. São coisas que sinto, amores que penso, momentos que a você deixo e a mim pertenço, por inteiro, por completo, como um pensamento, intenso, como o que sinto por você, apenas isso, tenho pensado em você.


Ela terá o meu melhor

Ela terá o meu melhor

Ronaldo Magella – professor, poeta, escritor, blogueiro, radialista, jornalista e mais nada


Decidi me doar, me permitir, deixar acontecer, que ela tenha o meu melhor, que entenda o meu sorriso, não vou contar a minha dor, que ela receba as minhas flores, não vou conversar sobre lembranças e saudades, do passado, ela terá apenas meus sonhos e planos, o meu futuro,  não verá minhas lágrimas, não acessará o meu passado, não saberá de mim, por mim o que não deu certo, apenas terá o meu melhor,  o meu presente, quero que ela seja feliz ao meu lado e não atrás de mim, não vou arriscar ficar olhando pelo retrovisor, parei, respirei e decidi seguir, sei que o amor demora pra chegar, a paixão vem devagar, vai se chegando sem pressa, mas é na falta que sentimos pelos dias, das horas que vamos percebendo que estamos a gostar, quando buscamos a outra pessoa, quando nos pegamos pensando nela, pronto, aconteceu e a gente nem sabia, se deu conta, mas agora já sabe, e sabendo, temos que fazer acontecer e não espera que aconteça. Minhas angustias de um dia não me privarão de ser feliz agora, hoje, não esqueci o que vivi, mas quero lembrar que posso viver melhor, coisas importantes, boas, gostosas, não é que alguém não quis o meu amor um dia que eu deva negar para outra pessoa aquilo que tenho de melhor, é egoísmo demais, o fracasso não pode inibir meu coração, meus erros não irão travar meus acertos, quero ser melhor, serei melhor e ela terá o meu melhor, minha alma limpa, meu coração apressado, meus beijos, meu olhar sensível, minha mão boba, meu desejo impulsivo, minha vontade calma, será tudo dela, pra ela, cansei de esperar ser amado, decidi amar, pouco importa que ame por nós dois, por mim, por ela, amarei e isso talvez nos baste, pois minha felicidade poderá deixá-la sem muitas opções, a não ser me amar também, pra ela o meu melhor, ela merece, por acreditar em mim, por me aceitar, por não desistir, por correr o risco, por dizer sim, por me beijar, me abraçar, por ficar ao meu lado, por não sair correndo, por saber esperar, por se permitir o que outros nem quiseram saber, por tudo, sim, ela terá o meu melhor. 

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Ela não diz, mas precisa ouvir

Ela não diz, mas precisa ouvir

Ronaldo Magella – professor, poeta, escritor, blogueiro, radialista, jornalista e mais nada


Ela nunca irá dizer que está interessada em você, ela irá sorrir pra você, ela vai te olhar, balançar o cabelo, mas não te dirá o quanto está afim de você, ela irá passar em frente a tua casa ou te curtir no Facebook, mas ela não abrirá a boca para dizer o que quanto está pensando em você, ela irá esbarrar em você, dizer que você está outro, mudou, está mais bonito, interessante, maduro, isso é uma senha, ela está dizendo que está prestando mais atenção em você, que está te olhando, observando, te percebendo, no fundo ela quer falar dos sentimentos dela por você, mas ela não o fará, você precisa entender aquilo que não está claro, escrito. Ela não irá dizer pra você não ir, quando ela disser tudo bem, pode ir, no fundo ela quer dizer, eu não gostaria que você fosse idiota, imbecil, entenda isso logo chato. Ela não irá dizer que te ama, ela te dará um presente, as mulheres nunca dizem nada, quando ela diz, estava pensando em você, pronto, isso é uma declaração de amor, você quem precisa entender o que ela não diz, será pelo silêncio que ela irá se comunicar, ela nunca irá te pedir algo, você terá que sentir o que ela deseja, ela jamais irá te dizer, mas você precisa ouvir, escutar. Ela te falará por frases incompletas, ela não dirá tudo, ela deixará sempre algo no ar para você decifrar, ela quer ser um enigma, e você precisa encontrar as pistas, seguir a trilha e finalmente ir ao ponto. Ela gosta de você e você precisa saber, mas não por ela, ela jamais irá de dizer isso, ela demonstrará de outra forma, será sutil, ela não quer ser clara, aliás, elas nunca são, mas está tudo ali. Ela irá te olhar, e olhando desejará que você entenda o que ela está querendo dizer, que ela gosta de você e que você a tem feito muito feliz. Ela não irá te dizer que quer te encontrar, ela dirá que sente saudade, a sua falta, e você não pode perguntar se ela quer te encontrar, ela já disse isso com todas as letras, você quem precisa decidir ir ao encontro dela. Ela nunca irá dizer, vamos, sempre dirá, seria bom, é o mesmo que dizer, sim, vamos lá, ela quer que você a entenda, o sonho de toda mulher é ser compreendida sem precisar dizer uma palavra, sem precisar abrir a boca. Ela irá ao salão para ficar bonita e mudará o cabelo, pintará as unhas dos pés, pra ela e para ser elogiada, você precisa entender isso, ela quer a sua atenção, deseja os seus comentários, ouvir de você que ela é linda, maravilhosa, ela não te diz, mas ela quer ser, pra você, a pessoa mais importante do mundo, da sua vida, mas ela nunca irá te dizer, mas ela deseja e você precisa entender. Você precisa entender, ouvir, escutar, aquilo que ela não irá te dizer. 

sábado, 21 de setembro de 2013

Gosta quando ela fala dela

Gosta quando ela fala dela

Ronaldo Magella – professor, poeta, escritor, blogueiro, radialista, jornalista e mais nada



Gosto quando ela fala, reclama do batom, me diz que precisa fazer as unhas, que está com raiva do professor da faculdade, que seu cabelo está ruim, que precisa fazer regime, que suas roupas não prestam mais, que ela está com fome, gosto, gosto quando ela fala dela e reclama de mim, que eu acordo cedo demais, que também estou ficando mais gordo, que nunca mais lhe escrevi algo bonito, adoro quando ela fala sem parar, fico ali parado, olhando, não posso fazer mais nada, ela fala, apenas fala e escuto, só escuto, nada mais. Quando ela me encontra, me beija e vai logo falando, amo, e ela fala, quando estamos sentados, parados e ela falando, olha pra mim, ela pede, escute, estou falando com você, sabe a Karol? Pois é, voltou com o ex, eu não sei quem é a Karol, mas faço cara de quem a conhece há muito tempo, sim, sim, sei, o que houve? E ela rir, sabe dos meus truques, mas não deixa de me contar. O celular toca, ela diz, não saia daí, a conversa não terminou, oi, alô, e ela conversa com alguém que nem sei que seja, faço um esboço para me levantar, ela segura meu braço, não saia, ela me diz de forma imperativa, volto a sentar, ela desliga o celular e volta a falar, então, como eu dizia, e eu escuto pacientemente sem piscar. Gosto como ela faz mil coisas ao mesmo tempo e muda de assunto, fala da gente, responde uma mensagem no celular, olha pra alguém que passou, reclama de si, da demora da pizza, da roupa da menina que acabou de passar, segura minha mão, pergunta como vai minha mãe, as crianças, os meninos, como será minha semana, se viajo no final de semana, e antes que eu responda, ela mesma já entra em outro assunto, que semana que vem estará de férias, que iremos nos ver mais, teremos mais tempo, que poderemos ir ao cinema, ver filmes, caminhar no final da tarde, ela vai falando, não tenho do que reclamar, gosto de vê-la assim feliz, contate e segura, confiante e tranquila, já sei estou aprendendo as tomadas de turnos conversacionais, sei quando devo apenas olhar e escutar, quando devo responder ou perguntar, quando devo falar, intervir, e claro, ela não perde o fio, se ela está falando da faculdade, e intervenho, amor, amor, a pizza, qual sabor, ela olha o cardápio, escolhe dois sabores, e volta outra vez para o que estava falando, é o seu momento de desabafo, sou o seu psicólogo, eu a escuto, ela me fala, eu entendo, ela fica mais leve, já entendi isso, ela precisa falar, precisa se contar e me contar, dizer suas coisas, falar da sua, ela acumula todo durante a  semana e me explica com detalhes num único momento, no final ela me diz o quanto gosta de mim, que sou importante e como é bom estarmos juntos, acho graça, apenas escuto o que ela diz, fala, sente, pensa, sou a sua terapia, adoro quando ela fala, sou o seu confessionário. 

Namoro AD (à distância)

Namoro AD (à distância)

Ronaldo Magella – professor, poeta, escritor, blogueiro, radialista, jornalista e mais nada


Cinco horas da manhã ela me envia um SMS, bom dia amor, tô com saudade, sete horas da manhã ela curte minhas postagens no Facebook, compartilha, comenta, fale comigo pelo bate-papo, depois me envia uma link, uma música romântica, oito horas ela está no Twitter me desejando um ótimo dia de trabalho, nove horas pela põe no Instagram uma foto nossa com legendas românticas, dizendo que sou especial e que ela gosta de mim e que não vê a hora de me encontrar, dez horas ela conversa comigo pelo WhatsAPP, pergunta como estou, como vai o dia, onze horas meu Outlook começa a pisca, ela me perguntando o que estou fazendo, meio dia recebo um email, ela me conta como está o seu dia, pela tarde ela me liga, de noite conversamos mais, e, e assim vamos pelo dia afora, pelo mundo adentro, pela Internet com o nosso Namoro à Distância, uma nova modalidade de relacionamento. Não temos como fugir, são as formas que encontramos para não perdermos e nos perdermos, precisamos ficar juntos, pertos, ligados, conectados, não, não é posse, ela não me sufoca, apenas estamos curtindo um momento bom no qual estamos vivendo, nos descobrindo, nos descobrimos, nos encontramos, nos permitimos e permitindo e agora não quero nos deixar, nos abandonar, desistir disso tão gostoso que estamos sentindo, e assim buscamos de todas as formas de estarmos juntos, presentes, vivemos coisas juntos, sentamos, conversamos, sorrimos, nos beijamos, abraçamos, nos curtimos, mas não deixamos a saudade falar mais alto, a ausência chegar, a distância nos impedir de nos termos, apenas estamos, deixamos acontecer, quando ela não me procura, sinto falta, aí chega a minha vez, mando mensagem, cutuco, chamo a atenção, grito, ligo, vou atrás, já estou sentindo falta e falta é algo que não quero mais sentir, a nossa comunicação, o nosso contato, a forma como estamos sempre um na vida do outro mostra a necessidade que temos de nos termos. Alguém não entenderá e se sentirá sufocado, ou então dirá que não, não precisa ser assim, não pode ser assim, não deve, enfim, coisas que qualquer um dirá caso não esteja apaixonado, não é o nosso caso, a paixão nos faz perder rumo, ou então encontramos outro rumo, claro, agora sempre o rumo da nossa paixão, do nosso amor, por enquanto é bom, mas sabemos que não pode ser sempre assim, tem dias e horas que o corpo quer alma, alma deseja o corpo, o olhar quer o outro, o beijo suplica a saliva, os ouvidos querem sentir o som do caminhar, o olfato quer o perfume, e é quando nos encontramos e nos entregamos, vivemos aquilo que virtualmente já sabemos que é, a nossa vontade de sermos um só e ficarmos juntos num mesmo sentimento. 

#euvoucasar #partiu

#euvoucasar #partiu

Ronaldo Magella – professor, poeta, escritor, blogueiro, radialista, jornalista e mais nada


Foi a minha amiga Jahynne Dantas quem constatou o óbvio, eu sou a mulher da relação, entre eu e minha namorada, sou eu quem decora as datas, sou eu quem chora quando a relação termina, sou eu quem pede para voltar, sou eu quem fica cantando no banheiro o Top Fossa Sucesso Total, as dez mais para quem levou um pé na bunda, num misto de frescura e frescura, não tem outra explicação. Por isso resolvi casar, adoro a ideia de casamento, gosto de compartilhar e dividir uma vida a dois, adoro a sensação de casa nova, de comprar móveis, organizar o seu espaço, escolher as cores, a iluminação, pintar a casa, decorar a sala, arrumar os livros, dividir os espaços. Vou casar, já decidi, quero reunir meus amigos no meu casamento, quero os abraços de parabéns, quero a emoção do sim, quero escolher um lugar distante para passar a lua de mel, mas se ela quiser, prefiro ficar em casa mesmo, curtindo a casa nova, viajando pela casa, arrumando as coisas, limpando o pó, usando os presentes recém-ganhados, deitados na rede mudando o canal da televisão, e como cantou Cazuza, “matando a sede na saliva”. Como disse a minha amiga, eu sou a mulher da relação, sou eu quem acorda cedo para fazer o café, pão assado, suco de laranja, mesa posta, com rosas, queijo, ela só precisa acordar, me dá um beijo e dizer bom dia amor. Claro, antes eu a acordo com um beijo quente com gosto de creme dental, ela me puxa, me abraça e ficamos mais um pouco na cama, corpos quentes, abraço aperto. Mas amor, vamos lá, o dia está lindo, eu a puxo para um novo dia do nosso amor. O roteiro do dia já está pronto, mas antes ainda vou arrumar a casar, deixar as coisas como devem ser. Sou a mulher da relação. Adoro fazer a feira, ela só precisa mandar e dizer o que precisa, vou lá, não se preocupe, eu compro tudo, ainda levo as crianças comigo, acho lindo um pai com seus filhos fazendo a feira em pleno sábado de sete horas da manhã enquanto a esposa dorme em casa. Sou a mulher da relação. Não se preocupe, cuido das crianças, cinco horas da manhã, lá vou eu caminhar com o bebê, troco fraldas, sei banhar, arrumar o cabelo, colocar a roupinha de sair e lá vamos nós outra vez caminhar no parque, rodar de bicicleta. Sou a mulher da relação. Só não me peça para fazer serviço de macho, não sei trocar uma lâmpada, nem sei mudar a torneira, não sei pregar uma porta ou parafusar uma janela, não sei montar um móvel, não sei subir no telhado, odeio mudança, não sei consertar carro, nem me interesso por eles, essa não é a minha praia, estou fora, coloque outro no meu lugar, não case comigo, estou avisando, já disse, sou a mulher da relação. Coloco as roupas pra lavar, faço o almoço, preparo o jantar, compro o pão na esquina, lavo a louça, levo o lixo pra fora, limpo o quintal, mas não me peça pra trocar a maçaneta da porta, mas sei matar baratas e ratos, muito embora não tenha vontade. Sou a mulher da relação, sou eu quem irá lembras as datas, preparar as surpresas, convidar os amigos, organizar o evento, deixar tudo pronto, por isso decidi casar. Acho a ideia de uma vida de casamento maravilhosa, não apenas o sexo, mas a companhia, o desejo de cuidar de alguém e fazer coisas para outrem, saber do outro, respeitar seus medos, seu silêncio, seus dias ruins, mas também sorrir juntos, comemorar conquistas e vitórias, ter uma família, conversar sobre filhos, ver as crianças crescerem, planejar o futuro, rir no presente, refletir sobre o passado, por isso, #euvoucasar, #partiu. Sou a mulher a relação, até nisso, sou quem quer casar. 

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Se o mundo fosse acabar eu ficaria com você até o fim

Se o mundo fosse acabar eu ficaria com você até o fim

Ronaldo Magella – professor, poeta, escritor, blogueiro, radialista, jornalista e mais nada

Se o mundo fosse acabar eu iria morrer ao teu lado, pois foi o que aprendi nestes últimos dias, semanas, momentos, horas, segundos, que é ao teu lado que quero estar doravante, para resto dos dias, dos meus dias,  até o fim, sempre.

Se o mundo fosse acabar eu gostaria de estar contigo, segurando as suas mãos, nós dois ali, juntos, perto, sentido o seu perfume, te abraçando com força, sentido o seu coração bater junto com o meu, ao meu. Foi com você que aprendi a esquecer de esquecer, o que deveria ter matado já dentro de mim, deixei o passado lá e passei a ver o futuro e viver o presente, e foi com você que aprendi que é possível ter esperança, voltar a amar, gostar e me perdoar dos meus crimes, dos meus aperreios, dos meus defeitos, da minha dor.

Se o mundo fosse acabar eu encerraria minha vida olhando nos seus teus olhos, deixando cair uma lágrima serena por cima de um sorriso bobo, te convidaria para dançar, para deitar, para sorrir, para morrer, para amar, para viver o resto do que nos restava ali naquele instante, momento.

Se o mundo fosse acabar escolheria a minha melhor roupa, te compraria um anel, te pediria em casamento, te faria promessas de eternidade, juras de amor sem fim, te entregaria meu último suspiro, minhas últimas palavras, sentimentos, meus derradeiros pensamentos seriam pra ti, por ti, em ti.

Se o mundo fosse acabar eu te queria bonita, linda, maravilhosa, cabelos esparramados, sorriso nos lábios, dançado, linda, ocupado todo o espaço da minha visão e da minha vida, te queria bela, bailando, te veria eterna ali em minha frente, com uma visão do além, do fim, do eterno, do nada, do pra sempre.

Se o mundo fosse acabar eu te roubaria um último beijo, teu melhor segredo, teu maior sonho, te desejo mais sincero, tua vontade mais gostosa.

Se o mundo fosse acabar eu te queria toda, entregue, total, amiga, companheira, cúmplice, namorada, irmão, noiva, esposa, mulher, amante, apenas te queria, de qualquer forma, jeito, maneira, eu te queria, apenas te desejaria, como alguém pode desejar uma vida, um sonho, um desejo, um amor, uma paz, a beleza, a esperança, a vida, desejaria.


Gosto quando ela chama pelo nome

Gosto quando ela chama pelo nome
Ronaldo Magella – professor, poeta, escritor, blogueiro, radialista, jornalista e mais nada

Gosto e prefiro quando minha namorada me chama de Ronaldo, minha mãe me chama assim, meus amigos mais íntimos também, mas sei que quando ela me chama pelo meu segundo nome, Magella, é que alguma coisa está errada.

Quando ela me chama de Ronaldo está feliz e de bem comigo, quer carinho, atenção, estamos felizes, não temos nada para resolver, estamos vivendo o pleno do amor, o ápice, o melhor do que podemos sentir e experimentar. Mas quando ela me chama de Magella, me preparo, procuro ouvir mais e falar menos, sei que temos algo a resolver, alguma coisa não está no lugar, ela quer me chamar a minha atenção, quer me dizer alguma coisa.

Magella é quando ela me chama para conversar e discutir a relação, Ronaldo é quando é quer apenas ficar ao meu lado, está com saudade e com vontade de mim. Com um dia de distância ela me chama de Ronaldo, com duas horas de conversa ela já derrapa num sonoro Ah, Magella, é um sinal, um código, disse algo que não deveria ter dito.

Todos temos esses códigos que nos fazemos compreender. Quando estamos em algum lugar e a chamo para ir pra casa e ela me responde, Ah não Ronaldo, é cedo, já sei, ela quer ficar um pouco mais, mas quando ela me diz, Magella, vamos embora, já devo entender que ela não está gostando de ficar ali.

Ela não me precisa me beliscar, me chutar por baixo da mesa, ela só precisa usar o meu segundo nome, Magella, já vou entender que algo não está bem, no lugar, que devemos ir embora, que está na hora, que algo ali não está agradando. Quando ela me chama de Ronaldo, pronto, sei que devo esperar mais um pouco, a noite está maravilhosa, podemos esperar um pouco mais, e me resigno.

Magella é distância, Ronaldo é proximidade, Magella é raiva, Ronaldo é carinho, se demoro para ligar, ela me recebe com oi Magella, se faço feliz, ela me chama de Ronaldo,  e quando ela diz o meu nome todo Ronaldo Magella, prefiro nem ter nascido, começo logo a sorrir para amenizar o momento, entro de sola, como se diz, beijando, com cheiro, segurando as suas mãos e perguntando, diga paixão, vida, amor, o que é que eu fiz agora?

Ela não suporta o meu cinismo, os meus carinhos e me perdoa, me diz Ah Magella você não presta mesmo, mas eu gosto de você Ronaldo.

Pronto, é outro momento que devo entender, da raiva ela passa ao carinho mudando apenas de nome, me chamando de forma diferente, de Magella para Ronaldo, da vontade de me matar ao desejo de amar.


Prefiro quando ela me chama de Ronaldo, mas não deixo de achar graça quando ela me chama de Magella, acho interessante, já sei identificar esses dois momentos, suas alterações de humor, e ela nem sabe que eu sei, sabia, claro, agora ela sabe. 

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Quero um laço de dois, um nó bem feito, uma vida a dois, em comum, acompanhada

Quero um laço de dois, um nó bem feito, uma vida a dois, em comum, acompanhada

Ronaldo Magella – professor, poeta, escritor, blogueiro, radialista, jornalista e mais nada.


Solidão é para gênios, pessoas comuns, nós, pelo menos eu, preciso de gente, de pessoas, de abraços, pés quentes, mãos frias, suor, corpo colado, beijo molhado, olho grudado, prefiro as manhãs de domingo em companhia a noites de sábado sozinho, prefiro brigas bobas e discussões infantis a falar sozinho para as paredes, quero deitar na rede ao lado dela, quero o abraço da reconciliação, o beijo de boa noite, a cara abusada de uma segunda feira de manhã, quero o café quente das tardes da semana, a surpresa dos aniversários, as reuniões de natal e finais de ano, quero gente, quero compromisso, quero casar na igreja e me jogar no mar, quero ir ao campo e sentar no chão, quero deitar de lado de quem amo e assistir um filme, escolher uma roupa para a pessoa amada, fazer o jantar enquanto ela me espia e rir de mim, acha graça e me dá dicas. Quero uma via e uma vida a dois, quero lavar os pratos, levar o lixo pra fora, arrumar a casa, forrar a cama, lavar o banheiro, comprar o pão, fazer regime juntos, ir ao mercado, fazer a feira, conversar com o vizinho. Quero uma vida a dois, planejar as férias, comprar uma casa, poupar dinheiro, viajar ouvindo música, quero dançar de rosto colado em casa numa noite de sábado tomando vinho e conversando sobre o nosso primeiro encontro, quero viver apaixonado e morrer amando, estar ao lado de quem amo, quero, gosto, preciso, desejo, quero que a minha vida seja dela e a dela seja minha, quero viver por ela e por ela tudo fazer, ser, quero, apenas quero, um laço a dois, um nó bem feito, uma vida a dois, em comum, acompanhada. Quero a prisão de estar junto a alguém a liberdade de viver sozinho procurando sempre a prisão de outrem. Quero uma relação de vários tons, permeada pela cor da transparência, da confiança, da segurança, da amizade, quero ser amigo, quero namorar, trocar confidências, contar segredos, tomar banho junto, dormir primeiro, acordar antes, fazer o café, levar na cama, quero ser noivo, companheiro e cúmplice, quero casar, quero ser família, o dito cidadão respeitado, quero gente, preciso de outrem, quero saber voltar pra casa e poder encontrar quem me faz sorrir, quero reunir amigos, quero visitar parentes, quero salgar a comida, esquecer o açúcar, queimar o pão, quero sorrir com alguém, sonhar ao lado dela, tirar dúvidas, ligar todo dia, perguntar se vamos ao cinema, se ainda irá demorar, se posso ir buscá-la, se ela pode vir ao meu encontro, quero uma vida a dois compartilhada, uma vida simples, meiga, serena e bonita, quero doar meus sentimentos e minha esperança, pode ser de alguém e por alguém algo viver, não quero ficar sozinho, preciso de gente, quero, espero. 

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

De príncipe virei um sapo

De príncipe virei um sapo
Ronaldo Magella – professor, poeta, escritor, blogueiro, radialista, jornalista e mais nada.

Errei, e errar dói, é quando a gente percebe que não é perfeito, quando entende que podemos magoar as pessoas, que nem tudo é mesmo como a gente pensa e sonha, quer e almeja, que o nosso orgulho, a nossa vaidade, a nossa posse, o nosso ciúme, o nosso preconceito, a nossa imaturidade por ferir outras pessoas, mas lá na frente vamos percebemos que seremos nós quem sairemos chamuscados e magoados e feridos, machucados e despedaçados.

Sei que nem todo mundo assume os seus erros, principalmente quando se trata de relacionamentos, as pessoas sempre escondem alguma coisa ou tentam justificar os seus defeitos e buscam sempre empurrar para o outro o motivo do fim dos laços afetivos, a culpa nunca está com a gente, sempre com o outro.
Prefiro fazer o contrário, prefiro exaltar o meu lado sapo, sim, o meu fracasso, para que ninguém se engane comigo ou veja algo que não sou. Mesmo com algumas poucas qualidades, admito, sou um desequilibrado e desastrado no amor. Bom seria que a gente não errasse, mas a gente erra, as pessoas erram, as relações terminam, o fracasso salta aos olhos e então a gente se percebe como realmente é.

E isso dói mais ainda. Dói por nos sabermos imperfeitos, dói por machucar a alguém, dói por desperdiçarmos um amor, uma vida, uma esperança. É uma dor que a gente carrega pra sempre e por pensa que poderia ter sido diferente, dói mais ainda, quando pensa que tínhamos tudo ali para sermos realmente e eternamente felizes mas não foi possível, a gente não teve condições de segurar com força, de resistir a nós mesmos e nos deixamos nos afetar pelo que tínhamos de pior, o nosso lado negro, o sapo que existem dentro de nós, dói mais.

Sinto por ter errado, mas confesso e me confessei, não irei outra vez errar, aprendi a lição, que tudo me é possível, mas nem tudo me convém, que existe um limite e que as coisas precisam ser vividas com parcimônia e cuidado, e aprendi mais, que idade não quer dizer maturidade, que uma experiência vivida numa ocasião nem sempre servirá para outra, pois as pessoas são diferentes, cada caso é um caso e a vida é sempre muito dinâmica.

Errar nunca é algo que se espera, apenas acontece, talvez para nos mostrar que a gente não é uma perfeição imaculada que achávamos que éramos. Logo a gente que nos achávamos maduros, experientes, seguros, pronto, basta nos apaixonarmos da felicidade para percebemos que cada pessoa é diferente e pode nos provocar sensações e emoções diferentes e nos fazer dá um passo maior do que podíamos.

Pedi perdão, chorei, me humilhei, implorei, mas reconheço, perdi, de príncipe, passei a sapo, um sapo feio, bocudo, lambão, inchado, um sapo medonho, desses da beira do rio, sapo cururu, assumo meus erros e minhas culpas, como um ser humano nu que não tem medo de se olhar no espelho, mas peço a vênia para recomeçar tudo outra vez do começo e me permitir me transformar em algo melhor, longe de mim querer a condição de príncipe, antes talvez se me fosse possível gostaria de ter a oportunidade de ter a oportunidade de demonstrar o meu amadurecimento e que sim, as pessoas podem mudar e se transformar.


Nunca quis errar, errei, reconheço, não me escondo, nem me desculpo, já que o perdão nunca poderá ser me dado, apenas me afirmo, mas devo acrescentar, não sou um erro, cometi um pecado, mas como tudo pecador arrependido, me curvo diante da vida, genuflexo, cabes baixo, olhar em lágrimas, mãos gélidas, com a dor latejando dentro de mim, mas a esperança renovada de que, tudo é possível de acontecer, e quero acreditar por acreditar que sim, é possível que o sapo que ainda vejo no espelho possa algum dia desaparecer, mas não especulo no que ele possa se transformar, apenas acredito que seja possível mudar, só precisa de uma oportunidade. 

Quando a gente gosta a eternidade é pouca

Quando a gente gosta a eternidade é pouca
Ronaldo Magella – professor, poeta, escritor, blogueiro, radialista, jornalista e mais nada.


Quando a gente gosta a eternidade é pouca, o infinito é logo ali, o pra sempre dura um segundo, o tudo e o todo sempre falta algo, a gente inventa palavras, contribui para o dicionário, inventa motivos, cria razões, tem uma lógica que a própria lógica desconhece. Encontra caminhos, se perde só para ficar um pouco mais. Quando a gente gosta vê no escuro, enxerga de olhos vendados, ouve mais e melhor, fala sorrindo, caminha apressado pra chegar e devagar pra sair, tem pressa em ver e custa para deixar ir embora, tem ânsia para ligar e nunca quer dizer tchau, até mais, apenas se deseja estar, permanecer, ficar. Quando a gente gosta o tempo passa rápido, não há distância, o longe fica perto, a gente vai, não importa, chega lá, é decisão, queremos, não importa, apenas vamos, e pronto, queremos ver quem gostamos, e vamos fazer tudo para encontrar. Quando a gente gosta as horas são inimigas, os dias trapaceiros, a saudade angustiante. Quando a gente gosta toda música é pra gente, todo filme emociona, todo mundo é simpático, ninguém nos aborrece, a gente não vive, flutua, quando a gente gosta sempre sobra um pouco mais, deita no chão, tudo é confortável, a gente se vira, se encontra, dá um jeito, e não tem jeito que não se possa ajeitar, tudo acontece, e a gente faz acontecer. Quando a gente gosta procura, acha e descobre mil maneiras de fazer a outra pessoa feliz, cria surpresas, inventas datas, todo mês comemoramos aniversário, toda data é uma razão a mais para declarar o nosso gostar, o nosso afeto. Quando a gente gosta espera sem reclamar, reclama por sentir saudade, perdoa o imperdoável, odeia o outro por nos fazer gostar mais dele, suspira quando abraça, cheira quando está perto, fica a espreitar ali parado o objeto do nosso amor, sorrindo, achando graça em tudo, quando a gente gosta acha graça do ridículo do outro, não acha o defeito, não ver os traços tortos, superlativa as qualidades, não percebe o que tudo mundo percebe, só o que queremos perceber. Quando a gente gosta espera sempre um pouco mais, a esperança é amiga fiel, nossa aliada, quando a gente gosta ninguém precisa nos dizer, só precisamos sentir, não importa, a gente gosta, se beija no sol, na rua, se esquece de esquecer, não conseguimos ver o que antes era tão claro, agora tudo é possível e acreditamos por acreditar e por querer acreditar que sim, tudo é possível e tudo acontece.  Quando a gente gosta que nos desculpem os outros, a gente quer viver e viverá o nosso gostar, soará bobo, mas pouco nos importará, carregaremos flores, criaremos códigos, fabricaremos desculpas para os outros, fugiremos dos amigos só para ficar com quem gostamos, mentiremos para ficarmos juntos e juntos buscaremos formas e meios para nos encontrarmos amanhã, depois, semana que vem, toda hora. Quando a gente gosta o nosso primeiro bom dia é de quem gostamos, a nosso último boa noite é de quem gostamos, o nosso pensamento durante o dia não nos pertence, está lá, todos os nossos momentos são distrações para quando encontrarmos a quem gostamos, passamos pelo tempo esperando o tempo de lá estar ao lado dela, com ela ao nosso lado.Quando a gente gosta e gosta mesmo a gente não precisa de mais nada, apenas da certeza de que o nosso gostar ficará ali com quem gostamos e aquilo nos bastará para seguirmos e realizarmos os nossos sonhos e desejos. 

Pronto para amar, serenamente

Pronto para amar, serenamente.

Ronaldo Magella – professor, poeta, escritor, blogueiro, radialista, jornalista e mais nada.


Já não ligo mais se ela não me liga pela manhã, já sei que esqueceu, o tempo foi pouco,  já não me importo se ela não me responde minhas mensagens com tanta pressa, não presto atenção se ela se atrasa um pouco, não reclamo mais, apenas fico a sorrir, não me maltrata  o silêncio dela, sei que ela precisa calar certas coisas, fingir outras, esconder, dispensar, não me aborreço se ela não quer ir comigo a algum lugar, nem faço cara feia quando ela me propõe outra coisa, não fico triste quando ela reclama de mim, nem devolvo a reclamação, apenas analiso e vejo se ela tem mesmo razão ao me dizer o que me disse, não me irrito se ela esquece o que eu peço, vou eu mesmo buscar, sei e entendo as suas razões, motivos, a sua lógica, acho que estou pronto para o amor, para amar. Não me estressa se sua mãe não a deixa ficar um pouco mais comigo, nem fico magoado quando ela está indiferente, aprendi que ela precisa de um tempo pra ela, com ela, dela, as mulheres precisam sempre de um tempo com elas mesmas, com as suas coisas. Ouço sempre com atenção o que ela me conta, como se fosse a coisa mais importante da minha vida, abro os olhos, arregalo os ouvidos e me cravo nela com atenção ímpar, e ouço, ela me contar o seu dia, falar das amigas, dos trabalho, da faculdade, da mãe, da irmão, sorriu quando ela está com raiva e me alegro quando ela está feliz, não prendo suas vontades, seus desejos, atendo seus pedidos, soluciono sempre tudo o que ela me pede, um copo de água, uma encomenda, uma comida, vou lá, como um servo, cumpro, realizo o trabalho, a tarefa, a ordem, sempre com um sorriso. Não implico com os seus gostos, suas músicas, sua distração, diversão, entendi que na diferença posso me completar, ser melhor, aprendo com aquilo que não tenho, com o que ainda não despertei minha atenção, nem lhe obrigo a gostar das mesmas coisas que eu gosto, tenho, penso, quero.  Não lhe cobro nada, sempre pergunto se ela pode, se podemos, quando ela quer me encontrar, me ver, pensa em ficar comigo, a trato com carinho, não é indiferença, mas respeito,  pergunto sempre se ela quer ir pra casa, se está gostando, se quer falar alguma coisa, minha atenção é sempre dela, como meus sorrisos e minha vida, acho, acredito que agora sim estou pronto para o amor, para amar, maduro para cuidar de alguém, pois agora não tenho a ânsia de ter alguém pra mim, mas sinto apenas vontade me doar, há um sentimento desapego, de não posse, ciúme, só uma sensação de fazer o outro feliz com coisas simples e importantes. Não lhe cobro atenção quando as amigas lhe reclamam também, não peço para desligar o celular ou me responder, sei esperar e espero, na paciência de um monge budista. Não imponho obrigações ou deveres que sei que toda relação tem, apenas a permito gostar e sentir vontade, desejo e saudade, sei que irás me procurar quando achar deve. Não, não é indiferença, como já disse, é respeito, é aceitar o outro como o outro é e deixar que tudo aconteça como tem que acontecer e quando acontece é bom, é gostoso, é saudável, é puro, é por gostar, e nesse bom, gostoso saudável, puro, sei que as coisas vão ficando melhores, profundas e vamos nos aproximando sempre um pouco mais a ponto de não saber mais quem somos divididos, mas nos reconhecermos juntos, acompanhados, um do outro, ao lado do outro, seguindo. 

sábado, 14 de setembro de 2013

Minha namorada não me engana

Minha namorada não me engana

Ronaldo Magella – professor, poeta, escritor, blogueiro, radialista, jornalista e mais nada.


Minha namorada não me engana, sei dos seus planos, em menos de dez dias juntos ela já está destruindo o meu passado, chega, foi o que me disse, vamos parar, vida nova, você agora é meu e eu vou cuidar de você. “Mas”...e nada de mas ou mais, ela me diz como já se fosse dona de mim. Apaga meus e-mails, minhas fotos, encontra meu celular e promove uma bagunça, deleta números, tira e exclui fotos, eu sei o que ela quer fazer, quer apagar o meu passado, me quer apenas pra ela, ela não está preocupada comigo, mas está preocupada com ela, sabe dos riscos e fará de tudo para não corrê-los. Agora, me diz ela, você será meu, chega de andar pra frente olhando pelo retrovisor, não, vamos juntos rumo ao infinito, ao horizonte, adoro a forma como ela me trata e cuida de mim, a entendo, não me preocupo, me permiti que isso acontecesse e fosse possível, senti como algo bom que pudesse me acontecer. Ela é danada, muda minhas coisas de lugar, organiza minha biblioteca, sei o que ela pretender fazer comigo e com a minha vida, me deixar talvez dependente dela, mas não, ela quer me cercar dela para que eu possa ter meus pensamentos apenas para ela. Outro dia me trouxe uma camiseta – olha amor, que eu trouxe pra você – ela pensa que me engana, ela não trouxe pra mim, ela quis me ver naquela blusa que ela pensou que eu poderia ficar bonito com ela e para ela. Ela sabe o que está fazendo, ela quer preencher os vazios, as saudades e lembranças, ela quer ficar com tudo o que restou e não deixar nada para mais ninguém. Ela me encontra, e enconta. Conversa com meus amigos, promove encontros, me faz sorrir e se diz bem ao meu lado, com a minha companhia, e que acha que poderá ser feliz. Ela me diz, não quero mais soltar você, demorei pra encontrar, agora é meu, quem não quis, não quis, achado não é roubado, pronto, somos e seremos apenas nós. Não é todo dia que se encontra um poetinha e um escritor largado por aí dando sopa, é meu, eu vi primeiro, quero pra mim, vou pagar pra ver o que pode acontecer, e sei, como quero acreditar que tudo é possível de ser – foi o que ela me disse me olhando nos olhos com um sorriso meio infantil e bobo, mas sincero e meigo, ela me parece uma criança quando encontra um brinquedo que tanto queria pra si e agora passa horas com o seu bibelô nas mãos, me manda mensagens, me liga, controla minha vida, pergunta se vou caminhar, já mudei até de tamanho ao seu lado, do número GG, agora estou no G, fruto da sua marcação cerrada. Ela me diz que não será sempre assim, é apenas um momento, ela sabe que precisa investir assim para não ter que sofrer ou se magoar, sabe que os primeiros dez minutos podem definir uma partida, ela diz, ou a gente ataca ou se defende, com você quero marcar gol, não vou jogar na retranca e esperar você se apaixonar, pode não acontecer, vou por outra lógica, vou fazer você sentir a minha falta, parece que está funcionando. Agora, posso confessar, me sinto protegido com ela, ela me aceitou, ler meus textos, sugere temas, está ao meu lado, mas ela não me engana, só me deixo me fazer de besta, no fundo ela não pensa em mim, pensa mais na felicidade dela, mas como bom companheiro, adoro fazer o outro feliz, e que assim seja, até agora está dando certo. 

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Se permita gostar de outra pessoa


Se permita gostar de outra pessoa
Ronaldo Magella – professor, poeta, escritor, blogueiro, radialista, jornalista e mais nada.


Sei que não é fácil esquecer de quem a gente ama, gosta, e nem sei se a gente consegue mesmo esquecer e deixar de gostar, mas aprendi também que é preciso se permitir gostar de outra pessoa, ir além da sua dor, entender que mesmo gostando e sofrendo, mesmo sabendo que se viveu coisas boas e maravilhosas, é preciso desistir do passado e ir, seguir com um gosto bom de saudade nas lembranças, mas é imperativo que a gente se permita abrir o coração para outras pessoas, deixar que outras pessoas com seus afetos e cuidados possam novamente te embriagar de paixão. A vida só acontece por estarmos vivos e precisamos entender que coisas boas e maravilhosas podem acontecer quando a gente menos espera, simplesmente acontecem, quando a gente menos espera, e mais, pensar e acreditar, esperança das boas, mas não apenas de esperar, mas esperançar, que o futuro pode nos surpreender, mas é preciso que a gente tenha disposição para deixar tudo acontecer. Não faça comparações, as pessoas são diferentes, elas não são iguais, nenhuma será melhor ou pior, serão apenas elas mesmas e pronto, é isso que devemos entender, gostar das pessoas com as suas diferenças e singularidades. Não há fórmula, receita ou livro que nos faça esquecer alguém que um dia gostamos e vivemos coisas boas, só o tempo mesmo pode nos mostrar que podemos viver e sim, vamos viver, mesmo sem ela e carregando dentro de nós aquilo que vivemos um dia, as saudades e lembranças, as cenas, os cheiros, os gostos, a vida que um dia vivemos e tivemos. O tempo não nos fará nada, a gente é que irá entender que as coisas acontecem por um motivo, um sentido, uma razão e que precisamos entender e sentir. Sentir, sentir e sentir. Se permita gostar de outra pessoa, deixe que outra pessoa entre na sua vida e possa cuidar de você, te amar, gostar e fazer você viver outras coisas, sorrir outra vez, amar, sonhar, se permita, apenas isso e tudo acontecerá, pois as coisas acontecem, simplesmente, acontecem.