quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Quando você não é mais o mesmo....a vida é outra

Quando você não é mais o mesmo....a vida é outra

Ronaldo Magella

A última fez que fui serviu para me mostrar uma coisa, não sou mais o mesmo e nem tenho a mesma disposição que um dia tive, acho que amadureci em alguns aspectos, tornei-me mais consciente da minha realidade existencial, verdade que surto de vez em quando e me comporto de forma diferente ao que penso e sinto, mas isso serve apenas para demonstrar que não sou perfeito, o que me deixa muito feliz, pois posso errar sem culpa. Pois bem.

Então, a minha última noitada me serviu ainda para provar duas coisas, não sei mais como conquistar uma mulher numa festa, não sei o que dizer, falar, como me comportar, e a outra, não tenho ânimo para ficar, dá um beijo e ir embora como se o mundo estivesse resumido a isso, sim, eu mudei, só não sei se para bom ou pior, mas agora sou assim. O chamado “ficar” perdeu o sentido, não quero apenas um beijo, quero história, romance, conversa, sentimento. Piegas, é? E? Nada.

 A vida é assim, a gente vive e vai amadurecendo, crescendo, valorizando outras coisas, curtindo melhor os momentos, as pessoas, sem aquela pressa da adolescência de viver tudo com todos. Ficar mais experiente é saber selecionar os momentos, aproveitar o sabor da vida, curtir a experiência. Voltando para a minha reflexão.

Pra ser sincero, a minha maior angústia é paquerar, nunca fui bom nisso e hoje estou pior, não sei o que dizer, falar, sou um desastre, se alguém mulher puder me ajudar, eu ficaria grato, caso contrário vou morrer sozinho. Depois de muito tempo sem sair, ir festas, quando você vai parece que não faz mais sentido, o mundo mudou, a vida é outra, as pessoas são diferentes. Ter alguns anos no meio dessa meninada jovem com 20 anos faz você parecer uma múmia, são todos lindos, fortes, belos, perfeitos. Mas carentes e infantis, estão em fuga, fugindo das próprias fragilidades, por isso entorpecem a consciência.

Vi homens e mulheres se beijarem, aquele beijo rápido e sem história, talvez até com algum sabor, gostoso, mas sem emoção. Até um amigo chegou e nos disse - já beijei uma, começou a contagem - ele estava contando a quantidade e não se preocupando com a qualidade do momento. Até que outro amigo me disse - não sei se estou ficando velho ou chato, talvez até as duas coisas, mas o fato é que não me vejo mais dando um beijo numa garota só por beijar, para dizer que fiquei e sair cantando vitória pelos ares, não, mudei, não sou mais assim. Opa, amigos, estamos juntos, é nóis, mano, bate.

Também é minha essa reflexão, ele disse, mas eu já havia pensado. Não sei se sou diferente, talvez por que não seja bonito, não tenha beleza para atrair as mulheres desenvolvi outras formas de compensação, tornei-me mais sensível, busquei outras vias, escrever foi uma delas. Claro, não serve muito, todo mundo quer mesmo é alguém bonito, charmoso e belo, essa história politicamente correta de que beleza interior vale mais, é balela, hipocrisia, falsidade, no fundo ninguém pensa assim e nem quer mesmo saber de gente assim, se assim o fosse, no lugar de comprar carro, roupa, ir festas, fazer regime, só faríamos duas coisas, compraríamos livros e rezaríamos, seria bom pra o nosso espírito, mas isso pouco fazemos, logo.

No fundo as pessoas admiram pessoas inteligentes, boas, humildes, mas não tem coragem de ser como elas, nem se interessam por elas, a gente quer mesmo e gosta mesmo é de carne, de corpos, do prazer sexual que um corpo bonito e perfeito pode nos proporcionar, eis a nossa grande realidade.

Vejo meus amigos, não só eles, mas a maioria dos homens, olharem para uma mulher bonita e soltarem sempre as mesmas frases – nossa, que gostosa, nossa, fazer sexo com ela deve ser bom demais - procuro fazer uma caminho diferente, quando vejo uma mulher bonita sempre fico pensando se a beleza dela exterior corresponde ao que ela tem por dentro, me pergunto, o que será que uma mulher assim gostaria de conversar, o que pensa sobre a vida, o que sente em relação a si mesma e ao mundo?


Já temos sexo demais por aí, beleza demais, “fica”demais, precisamos de afeto, de romance, de história, de paixão, de vida, chega de prazer barato e relações superficiais, precisamos pensar mais sobre a nossa existência, o que queremos, desejamos, o que nos faz viver e sentir. Mas claro, é apenas uma reflexão pessoal. 

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Atropelado

Atropelado

Ronaldo Magella

Suas palavras bateram em mim, choque rápido e certeiro, me jogando longe, nem vi o que me atingia, foi duro e forte, senti apenas o impacto das frases, a dor das palavras, sensação de estranhamento e surpresa.

Você me atirava longe da sua vida, num golpe intenso, como um objeto que se joga ao longe, quando se quer mais, se usa mais, se presta mais, ali, naquele momento, era o que me sobrava, o descarte, a dispensa, o lixo, era arremessado, voava das suas mãos para um destino qualquer, para os braços do nada.

Demora pra você perceber a realidade, encarar e suportar a realidade, tudo parece um sonho, as coisas acontecem de forma veloz, você rir, atordoado, sem entender o que está acontecendo, se realmente está acontecendo, se aconteceu, só depois, quando o tempo se vai, se esvai, foge, para no ar, quando tudo se acalma, você começa a perceber a realidade, por os pés no chão.

É quando as primeiras dores surgem, você se mexe um pouco e o corpo acusa, dói, te machuca. Mas, ué, você se pergunta, mas o que aconteceu? Bati em quê? Busca a memória, sacode as lembranças, remexe as horas, volta no tempo, começar recordar e acreditar que algo não está mais no lugar, algo se quebrou, deixou de estar, foi embora, se perdeu, mas você ainda está vivo e sentindo.

Veio de onde mesmo se esperava, de onde menos poderia vir, você parecia firme, seguro, inteiro, mas foi atropelado, quebrou-se, trincou, antes era amor o que sentia, aconchego, agora era dor, abandono, era paz que você tinha, sossego, agora era insegurança, confusão, agora você tinha tudo, logo depois mais nada.


Você me atropelou, deixou cortes, provocou arranhões, causou fraturas, e você nem precisou de muito, batei em mim com palavras, em deixou em coma, me tirou a vida, fiquei entre a vida e morte, e morri, quando você disse que não me queria mais. 

Cansei de gostar sozinha

Cansei de gostar sozinha

Ronaldo Magella 26/01/2016

Minha amiga terminou sua relação, aqui pra gente, nunca pensei mesmo que ele fosse o cara da vida dela, e pronto, chegou ao fim, como ela me disse hoje, cansei. E claro, quis saber os motivos.

Ela me disse que havia cansado, simples assim, cansada de estar numa relação unilateral, quando só uma das partes cede, renuncia, faz um esforço  danado para tudo ser bom, gostoso e maravilhoso, eu cansei, ela me contou. 

Cansou, segundo ela me disse, de correr atrás, de ficar em casa enquanto ele saia com os amigos, cansei de falta de atenção, de respeito, de companhia, cansei de carregar a relação nas costas, de esperar, de ir sempre pra uma segunda chance, de sufocar minhas vontades, meus desejos, sempre tentando salvar um barco que só era navegado por mim. Agora, ele que morra, ela me disse. 

Minha amiga talvez não tenha me dito tudo, mas ela não falou em brigas, em ciúmes, em diferenças, claro, essas coisas estão sempre presentes,  e quando se termina uma relação elas surgem, mas ela se referia ao companheirismo, a atenção, a presença, ou a falta destas coisas que a levaram a cansar.

Acho, mas eu só acho, que toda mulher quer uma relação na qual ela seja paparicada, que o cara esteja presente, seja atencioso, carinhoso, engraçado, esteja disposto pra ela e só pra ela, carinhos, elogios, afetos, custa, pouco, mas rendem muito, mas nem todo mundo percebe isso, ou quer dar isso a outrem, a outra pessoa, muitos se negam, acham que a indiferença é o que vai prender alguém.

E claro, por fim, ela me disse, encontrou pessoas que souberam valorizar o que ela tinha, a presença dela, a companhia dela, as qualidades dela, e ela percebeu o quanto a balança estava torta pra um lado, o dela. Enquanto ela remava pra não morrer afogada, o cara fazia peso, afundava a coisa toda. E ela cansou.

Barco afundado, relação acabada, liberdade pra ambos os lados, mas ainda assim acho que alguém ainda tenta sair da água, minha amiga, linda, simpática, um doce de pessoa, está voando, agora livre, deverá em breve encontrar morada em outros braços, espero que agora ela saiba escolher melhor o seu companheiro para não sofrer de solidão a dois.


Você não é boba, você é linda

Você não é boba, você é linda

Ronaldo Magella 26/01/2016
Só pessoas lindas sabem viver, elas são especiais, diferentes, meigas, interessantes, assim como você, elas nos encantam, nos prendem, fascinam, assim como você.

Você ainda não percebeu a sua própria beleza, não é o físico, mas o jeito, não é corpo, mas o estilo, não é o rosto, mas o sorriso, é tudo o que você exala de dentro pra fora, me apaixonei pela sua alma, estou fascinado pelo seu caráter, apegado ao seu jeito.

Não te acho boba, te acho linda, um jeito delicado de ser, algo sensível, você transmite segurança e tranquilidade. Você é educada. Tenho medo, confesso, de estragar algo em você, de tocar em você, como se você fosse algo de admirar, apenas de olhar, como um quadro, um escultura, uma paisagem, que a gente não se cansa de olhar e não quer mexer pra não mudar.

Gosto do seu jeito simples de ser, de alguém que acredita em amor e gosta de filmes românticos, que se emociona, que chorar, rir, sensível, uma rosa, uma flor, uma manhã de sol, uma noite de luar, você é uma poesia que anda, um poema que vive, uma música doce e suave, como um cheio bom que nos toca a alma.

Adoro a forma como você é, de querer mudar coisas em você, se melhorar, e agora que decidiu gostar de ler, acho que estou gostando mais de você, e não é difícil gostar de você, é fácil.
Como cantou Vinicius de Morais, você não pode perder esse jeitinho de falar devagarinho essas histórias de você, você precisa ser essa coisinha que ninguém mais pode ser, você. E você sendo você é o que te torna linda, pois tu és diferente.

Linda, não a beleza do corpo, mas do coração, da alma, da tua maturidade, de quem tem medo e coragem, força e leveza, calma e brandura, simpatia e mistério. Eis a tua beleza, e agora que te conheço, te sei, estou ao seu lado, talvez não por muito tempo, mas o suficiente para te dedicar o meu tempo e a minha vida. E o meu amor.


Como cantou Caetano Veloso, “a sua coisa é toda tão certa, gosto de ter, sentir teu estilo, ir no seu íntimo, você é linda e sabe viver, e esta canção é só pra dizer, e diz”, pra mim, esse texto é só pra dizer, e diz, espero. 

sábado, 23 de janeiro de 2016

Todo apaixonado é uma pessoa melhor

Todo apaixonado é uma pessoa melhor

Ronaldo Magella –23/01/2016 - jornalista, professor, escritor, poeta, tem livros publicados.

Amanheci com vontade de cantar, todo apaixonado é bobo, sorrir sem querer, falar sem parar, acha graça em tudo.

Acho que estou apaixonado, todo apaixonado é simpático, sente uma felicidade leve, uma alegria imensa, uma sensação de paz incontida.

Acordei cedo, todo apaixonado é disposto, não sente fado, não cansa, não tem preguiça, tem ânimo, sente vontade.

Até me achei mais bonito hoje, todo apaixonado remoça, se renova, se sente melhor, tem a autoestima pontecializada, toda paixão é um livro de autoajuda.

Tomei um banho e nem tremi, todo apaixonado é corajoso, enfrenta o mundo, é motivado, não é inseguro, não tem medo, nem dúvidas, sim, diz a si mesmo, viver é bom, gostoso, vale a pena.

Todo apaixonado se cuida melhor, se arruma, faz a barba, ajeita o cabelo, aumenta as doses de perfume, escolher a melhor roupa, não se atrapalha, não se confunde.

Todo apaixonado é uma pessoa melhor, não briga, não emburra, não provoca, não discute, não encasqueta, não compra confusão, não cria problemas, não faz tempestade em copo com água.

Tô mais calmo, todo apaixonado diminui o passo, caminha firme, segue reto, não olha de lado, nem pra trás, não tem pressa, já sabe onde quer chegar.

Todo apaixonado esquece o passado, não importa o que houve, mas o agora como será, não lembra das dores antes, pensa  só na alegria do agora, esquece as decepções, foca na nova oportunidade.

Acho que estou gostando, nem preciso dizer, todo apaixono se mostra feliz, estampa na cara, é um outdoor ambulante da própria felicidade, seus gestos, sua cara, suas atitudes já fazem a propaganda.


Todo apaixonado é indiscreto, pronto, já disse. 

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Todo ciumento morre de véspera

Todo ciumento morre de véspera

Ronaldo Magella –22/01/2016 - jornalista, professor, escritor, poeta, tem livros publicados.

Todo ciumento vê o que não existe
Antecipa situações, provoca a crise
Cria realidades, entende tudo errado
Imagina cenas, desenha demônios,
Inventa a própria dor, morre com o próprio veneno:
O seu ciúme.
O ciumento sempre enxerga o lado ruim
É um pessimista, desconfiado, inseguro
O ciumento encontra razões quando não há motivos
Cria motivos para justificar suas razões
Age por impulso, sofre com antecedência
Morre de véspera.
Não espera acontecer, provoca a própria morte
O ciumento é um suicida, não sabe morrer
Sabota a si mesmo, anda em círculo
Cai sempre no mesmo precipício sem fim
Maltrata e se maltrata, mas não percebe
Sufoca, faz pressão, não dá trégua
Todo ciumento é vítima
Não confia no outro, nem em si
Acaba a relação, desgasta o outro, perde o controle
E não percebe o próprio estrago
Se perde e perde, deixa de viver
Tenta voltar, se achar,
Mas, às vezes, e muitas vezes

É tarde demais. 

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Não dá pra se repetir em uma nova relação

Não dá pra se repetir em uma nova relação

Ronaldo Magella –21/01/2016 - jornalista, professor, escritor, poeta, tem livros publicados.

Não dá pra ser o mesmo com outra pessoa, sair de um fracasso e manter a mesma rotina, ter as mesmas atitudes e querer alcançar o sucesso.

Toda nova relação requer uma mudança, uma repaginação, um upgrade. Ser você, mas agora outro, diferente.

É preciso se renovar, outro momento, novas ações, outra pessoa, outras atitudes, outra história, um novo fim, outro você, uma nova oportunidade.

A gente nunca está maduro pra uma relação nova. Nunca aprendeu o suficiente. Cada nova página requer de nós um novo esforço.

 Toda relação é algo novo e a gente precisa aprender tudo outra vez, é outra pessoa, outro momento,  novos costumes, outros hábitos, a gente precisa reaprender a caminhar outra vez como se fosse a primeira vez, agora com alguém diferente.

E não adiante olhar pra trás ou fazer comparações, a cada pessoa trás consigo outras exigências, renúncias, outras situações, ideias, sentimentos, emoções, vida.

As experiências são importantes, nos ajudam a evitar erros, problemas, mas a gente precisa também aprender a não se repetir, não fazer o que fazia antes, mudar as coisas de dentro pra fora, permitir que algo antes não aceito agora possa aflorar.

A gente aprende que precisa ser paciente, que precisa fazer um pouco de renúncia, que precisa ir aos poucos convivendo e ganhado espaço, observando a situação, fazendo reservas, mantendo o cuidado.

O amor pode ser o mesmo, mas a forma de amar sempre será diferente. Mesmos olhos, mas com um olhar diferente, mesmas palavras, mas um jeito novo de dizer, a mesma paixão, mas com uma maneira de demonstrar sem igual. 

Cada nova relação tem suas regras próprias, seus padrões, um novo modelo, uma nova forma de agir e portar, se comportar, o que se viveu antes com outro alguém não pode ser colocado como algo fechado e imutável, é outra história que precisa de uma nova escrita, um outro estilo, um outro e novo roteiro.

Agir em uma relação nova da mesma forma que se aconteceu antes é o mesmo que anunciar a tragédia de forma antecipada, prevê o fim antes do começo.


Recomeçar em outros braços

Recomeçar em outros braços

Ronaldo Magella –21/01/2016 - jornalista, professor, escritor, poeta, tem livros publicados.

Só um olhar novo para encantar outra vez a vida.

Recomeçar em outros braços pede uma dose esperança.

É desistir do ontem para insistir no amanhã.

A reconquista da felicidade já meio abandonada
Precisa de um esforço para ser resgatada, recuperada.

Encontrar um amor novo é juntar-se outra vez
Recolher seus pedaços deixados no caminho
E se emendar, se recompor, renovar-se.

Voltar a acreditar que ainda é possível.

É a alegria que aos poucos vai reconquistando a sua face.

É falar palavras já esquecidas
Sentir sentimentos já negados
É voltar a aprender a gostar
Como se fosse a primeira vez
Para ser a última, como a única.

Recomeçar exige de você sacríficos.
Esquecer o passado é necessário.
Começar do zero é se dar uma nova oportunidade.
Não fazer comparação é querer se encontrar
Ter paciência é acreditar

Recomeçar em outros braços
Reencontrar-se em alguém outra vez

É vida. 

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Alguém que se interessa por você

Alguém que se interessa por você

Ronaldo Magella – jornalista, professor, escritor, poeta, tem livros publicados.

Toda pessoa interessada investiga, se faz notada, observa, olha, se apresenta, chama a atenção, corre riscos.

Se olho pra você e você me chama a atenção, me interesso, corro atrás, reviro mundos e fundos até chegar em você, até você.

Vasculho suas redes sociais, curto suas fotos, tento fazer comentários inteligentes e engraçados em suas postagens, mando convites, puxo conversa, se faça notado, me apresento.

Até me faço de bobo, de outras pareço um idiota, chato.

Quando estou interessado em alguém digo bom dia, boa tarde, boa noite, pergunto coisas bobas, banais, observo por onde você caminha, com quem conversa, fala, rir, pra onde vai, quando volta, seus preferência, do que você gosta, o que odeia, sobre o que costuma postar, quais seus assuntos, o que adora curtir, compartilhar, quais são as suas cores, se adora ler, qual música ouve.

Se estou interessado corro todos os riscos, para o sim, de um não, de ser deixado no vácuo, de receber indiferença, de não ser notado, desprezado, ignorado, é o custo e o preço de tentar uma aproximação, pode acontecer, pode não rolar, não existem certezas, apenas dúvidas e esperanças.

Toda pessoa interessada tem os seus métodos, uns mais apressados, outros menos, há quem observe, outros partem para o ataque, há os agressivos e impacientes, alguns calculistas e leves, se chegam devagar, pelas margens, conversando, seduzindo, se aproximando.

Toda pessoa interessada em outra é um pesquisador, avalia, pondera, compara, pesa, mede, soma, multiplica, divide, consome. 


Se me interesso, busco a sua atenção, apareço na sua vida, grito, me pinto de qualquer cor só pra você me notar, “um dia eu acho um jeito de aparecer e você notar”. 

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Você não esperou pelo meu verão

Você não esperou pelo meu verão

Ronaldo Magella 19/01/2016

Você me deixou no inverno
Quanto tudo era outono
Não esperou minha primavera
Quando o perfume das flores deixaria a vida melhor
Não esperou pelo meu melhor
Não suportou o meu silêncio
Não soube aguardar o meu sorriso
Foi embora e me roubou da tua companhia
Deixou ausência e solidão
Hoje sinto saudade e vivo das lembranças
Me negou tua vida e deu o teu nada
Queria você no meu verão
Sol, calor, alegria, cores, luze, diversão
Queria te dar o meu melhor
Te ofertar todas as coisas
Entregar meu tudo,
Mas você ficou no centro
E me deixou pelas margens
De ficou de longe
Enquanto estou de perto
Seguiu em frente
E agora estou na estrada
Parado, tentando voltar ou esperando alguém me levar
Agora é frio, antes éramos calor
Agora somos dois, éramos um só
Agora estamos distantes, um dia estávamos perto
Você não esperou por mim
Agora segue, sem mim, estou aqui, sem você
Com a porta aberta, esperando você pegar algo que esqueceu de levar
O meu amor.


Deixem no meu canto

Deixem no meu canto

Ronaldo Magella 19/01/2016

Deixem no meu canto
Canto baixo
Olhando estrelas
Sonhando pouco
Sentindo demais
Aqui estou, aqui fico
Deixem no meu canto
Fotografando ideias
Compondo emoções
Falando por silêncios
Gritando alto pra ninguém
Fico por ficar, fico por resistir
Deixem no meu canto
Olhando de longe
Sentindo por dentro
Chorando em seco
Caminho sem fim
Sentido contrário
Solidão de herói
Sorriso guardado
Emoção presa
Não vou, devo esperar, quero estar
Deixem no meu canto
A vida que corre
O tempo que para
A dúvida que cresce
A esperança que emperra
A dor que alivia
A inquietude que angustia
Preso, parado, ficando, atado
Deixem no meu canto

Que o meu canto ninguém pode cantar

E você adora vermelho

E você adora vermelho
Ronaldo Magella 19/01/2016

No carnaval foi me pintar de vermelho
No São João, igual fogueira, vermelho, como brasa quente
Minha vida terá tons de vermelho claro
E você adora vermelho
Fico vermelho quando você passa
Coro vermelho de vergonha ao te ver na rua
Meu pensamento é encarnado por ti
E meu desejo é vermelho como a paixão
E você adora vermelho
Tenho os olhos vermelhos
E a boca avermelhada
O coração salpicado avermelhado
E você adora vermelho
Vou me deixar vermelho
A alma já encarnece, de vermelho
Os sentimentos vermelhadaços
E você adora vermelho
Quero te deixar vermelha
E beijar sua boca de batom vermelha
Encardi a tua vida e encarnar o teu coração
Segurar seu amor com laços vermelhos
E prender sua paixão com correntes vermelhas
E você adora vermelho
Você só precisa entender que eu quero ser aquilo que você adora
Todo de vermelho


Alguém especial

Alguém especial

Ronaldo Magella – jornalista – 19/01/2015

Você passa a vida toda procurando encontrar alguém especial, procura em Paris, acha que ela está em Londres ou que ainda nem nasceu.

 Que talvez você só venha a conhecer em outra vida ou num próximo planeta, você  nem percebe que já a conhece.

Que ela passa em frente a sua casa de moto com uma mala imensa, de cara amarrada e cabelo preso indo trabalhar, te achando o cara mais besta do mundo.

Você acha que alguém especial será alguém que fale difícil e adore filosofia, arte moderna, mas ela apenas gosta do cheiro do mato verde, da terra molhada, da natureza, das coisas simples que existem na vida, que muitos ainda não sabem apreciar.

Alguém especial é aquela pessoa que você conversa horas, rir, não falta assunto e você não tem coragem de dizer preciso ir, sua única vontade é de ficar e falar, falar, conversar e colocar em dias todos os assuntos de uma vida inteira, e você se pergunta, por que eu nunca conheci essa menina antes?

E dentro de você nasce uma coisa chamada admiração, quando você passa a conviver com a outra pessoa percebe o quanto ela é doce, meiga, simples, interessante, atenciosa, inteligente, amiga, simpática, de um jeito que te encanta.

Você acha que alguém especial seja alguém importante que viaje de avião toda semana conhecendo o mundo, mas alguém especial é alguém apenas que tem medo de cobras e aranhas, que adora uma cachorrinha e que tem preguiça de levantar da cama numa noite fria pra comer iogurte.

As pessoas especiais são aquelas que são verdadeiras, que sonham com um amor, que se sentem sozinhas, que sabem conversar, que adoram conversar, que são românticas,  se dizem bobas, e por isso são lindas.

Toda pessoa especial é linda, não falo da beleza física, mas da beleza em ser como é, do modo como percebe a vida, as pessoas, da forma como fala, sente, gente comum a gente encontra todo dia, gente especial a gente precisa estar atento para enxergar, ela pode até morar na sua rua e você nunca percebeu.

Eu encontrei alguém especial, sem querer, aconteceu, o bom da vida é que ela pode nos surpreender e fazer a gente acreditar em algo que a gente achava que não mais iria encontrar, o interessante da vida é que ela nos fazer ver aquilo que antes a gente não tinha olhos, não enxergava, o divino  da vida é que a gente pode sentir o que já tinha esquecido, o amor.

Fico feliz quando encontro pessoas especiais, é como se a vida me dissesse, ainda é possível viver, não desista agora, espere mais um pouco.




quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Guardo o amor

Guardo o amor

Ronaldo Magella 14/01/2016 – jornalista, poeta, escritor, professor, radialista, blogueiro, tomador de café.

Guardo o que resta em mim do amor.
Tranco as portas, fecho as janelas, cerro os dentes.
Fecho os olhos, prendo os punho, acorrento a vida
Bloqueio o pensamento, encerro as opções.
Brigo com o coração, não alimento ideias
Não troco olhares, não mostro sorrisos
Desisto de ir, travo o avanço, barro o caminho
Fico por teimar, por amar, pra morrer. 
Quero o amor, o meu amor, o sentimento de antes
O objeto de sempre, a pessoa pra sempre, você.
Repriso as cenas, volto mais uma vez, aguardo.
Esperança.
Aguardo o tempo, guardo o melhor, escondo-me do novo
Não é saudade, é vida, é sentimento, é paz
É gostar de gostar, por gostar, por se sentir bem.
A quem me busca, não me encontra, ainda estou na mesma
Ainda sou o mesmo, ainda estou em ti
Ainda sou teu,
Descanso minha vontade em você.
Pego o que sobra de mim e a ti entrego
Já me tenho, agora quero me dar
A você, mas tu já me tens,
Pra você guardei o amor,
O melhor.



O encanto que permanece com o tempo

O encanto que permanece com o tempo

Ronaldo Magella 14/01/2016 – jornalista, poeta, escritor, professor, radialista, blogueiro, tomador de café.

Algumas coisas jamais mudam. Certos encantos são pra sempre.

Amamos uma ideia, as ideias não morrem, amamos a ideia que fazemos de alguém, e toda ideia é eterna.

Dentro de nós o passado continua muitas vezes mais vivo do que a nossa própria realidade presente, do momento, e se a gente se descuida, volta no tempo e fica lá, um segundo, um minuto, uma hora, um dia, uma vida inteira.

Há certos encantos que o tempo, a vida, as coisas, não carregam, não podem mudar, a gente não perde, não consegue esquecer, se livrar, deixar pra lá, vez por outra a memória nos provoca e a lembrança insiste, a saudade nos invade, aí então podemos dizer, o tempo não anda. Risos.

É gostoso lembrar-se dos nossos encantos e daquilo que um dia nos fez gostar de alguém, o humor fino, a ironia presente, o pensamento rápido, a crítica sutil, o sorriso vaidoso, a personalidade forte, talvez seja isso que nos faça pensar e ter a certeza que nunca vamos esquecer alguém que tenha marcado a nossa vida.

A gente sempre tem todos os motivos para seguir, andar, ir e não mais voltar, mas de uma forma ou de outra a gente gostaria de voltar no tempo, reviver coisas, sentir a mesma emoção de um tempo que um dia foi nosso, que a gente viveu, mas o tempo só anda pra frente, o tempo, pois algumas coisas correm contra o tempo.

A saudade não se importa com o tempo, o desejo desafia o tempo, a vontade luta contra o tempo, o amor é maior que o tempo, a paixão ignora o tempo, é isso talvez que faz com que a gente ande pra frente com um olhar para trás, de volta, recuado, mesmo o tempo indo, sem parar.


O tempo, como cantou Caetano Veloso, tempo, faço um acordo contigo, “que sejas ainda mais vivo, de modo que meu espírito, ganhe um brilho definido”. 

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

São seus óculos

São seus óculos 
Ronaldo Magella 13/01/2016 – jornalista, poeta, escritor, professor, radialista, blogueiro, tomador de café.

Decido todo meu apreço a quem usa óculos

Gosto de mulheres de óculos.

São especiais. 

Há um charme. Tem estilo. É elegante. Me apaixono.

Gosto de mulheres que usam óculos e fazem pose de intelectuais.

Amo mulheres que sabem que seus óculos chamam a atenção.

São mais cativantes e atraentes. 

Mulheres de óculos fogem do padrão.

São diferentes, me prendem, me envolvem.

Uma mulher por trás dos óculos, como diria Drummond.

Fina. Meiga. Delicada. Serena. Doce. Gentil. Educada. Inteligente.

Ver o mundo de lentes, pelas lentes, é diferente, é inebriante

Pra ver melhor, pra entender mais, sentir

Ajeita daqui, apruma de lá, segura o aro, solta o corpo, prende

Tem uma sensualidade ao segurá-los

Como se manejasse uma arma, um troféu, um objeto raro

Há um mistério nos olhos que os óculos escondem

Eles protegem o olhar, ela te olha, mas omite o que pensa

O pensamento não ultrapassa as lentes, retém as ideias

Ela sorrir, os óculos acompanham, simetria perfeita

Um convite à sedução.





Sou um idiota

Sou um idiota

Ronaldo Magella 13/01/2016 – jornalista, poeta, escritor, professor, radialista, blogueiro, tomador de café.

Acordei hoje e me descobri um completo idiota.

Ridículo.

Descobri que não sei como conversar com uma mulher, se falo demais, acho que ela ira enjoar de mim, se fico calado, penso que irá pensar que sou mais idiota ainda.

Apesar dos pesares, eis a minha realidade, sou um idiota, não sei o que dizer a mulher.
Não sei quais palavras usar, se tento ser simpático ou se fico na minha, se tomo a iniciativa ou se espero ela olhar em minha direção, se sorrio ou se apenas fico sério.
É,  eu sei, sou ridículo.

Não sei falar de futebol, não assisto novela, não entendo do tempo, não sei conversar sobre carros, trivialidades do dia a dia, nunca sei quando vai chover, não gosto de vaquejada, não escuto forró, não vejo televisão, não curto sertanejo, axé, pagode ou funk, não sou carismático, não sou simpático, nunca sei o que dizer, nem quando falar, se devo falar.

Sou um desastre.  

Sempre acho que não estou agradando, que não sou bem vindo, penso que as pessoas pensam sempre o pior de mim, por isso sou na minha, fico em silêncio, paralisado diante das minhas incertezas. Eis o maior motivo para eu não sair mais de casa, não sei nunca o que dizer a uma menina para conquistá-la, sempre acho que estou dizendo muita besteira, bobagem, idiotice, canastrice.

Sou um canastrão. Um clichê.

Não sei fazer piadas, não sou engraçado, não sou inteligente, não sou bonito, não sou malhado, não sou interessante, não sou diferente, ou como dizem, diferenciado, não sou popular, não sou “o cara”, só me resta o epíteto de idiota.


E claro, não quero ser igual a todo mundo. Por isso sou idiota. 

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Que minha namorada seja amiga dos meus amigos

Que minha namorada seja amiga dos meus amigos

Ronaldo Magella 12/01/2016 – jornalista, poeta, escritor, professor, radialista, blogueiro, tomador de café.

Volta e meia o tema volta ao debate, fulano depois que começou a namorar ficou distante, não encontra mais com os amigos, não nos visita mais, nem nos procura, vive agora apenas pra sua relação.

Sempre tem um caso desses em qualquer turma, mas sinceramente não entendo. Há um conceito dentro de mim, simples e prático, que a minha namorada seja amiga dos meus amigos, gosto deles, e gostaria que ela também pudesse conviver com eles, que formássemos uma família maior, que não houvesse separação, mas união e amizade.

 Há pessoas possessivas e ciumentas além da conta, conheço gente que tem ciúmes dos amigos, dos pais, dos irmãos, do namorado, noivo, marido, nem se fala, é prisão total. Nenhuma relação vive exclusiva em si mesma e fechada dentro do seu próprio universo.

Com o tempo o prisioneiro passa a reclamar, se sente sufocado, vai perdendo o ânimo de viver, pois percebe que deixou de viver muitas coisas, está perdendo a companhia dos amigos, se sente isolado, pois se antes havia muitos convites, como tempo eles vão ficando escassos, de tanta negação.

Não é saudável abandonar os amigos por uma paixão ou um amor novo, é preferível que os amigos venham pra relação, como a relação deva ir pra eles, compartilhar o momento de se haver encontrado alguém especial que nos prendeu a atenção e os sentimentos e que os amigos possam sentir que estamos bem e felizes.  


Tenho um amigo que sempre dizia o mesmo pra todas as suas namoradas, vai namorar comigo? Terá que namorar com a minha família, meus amigos, meus parentes, meus conhecidos, com todo mundo que faz parte da minha vida, não quero ninguém emburrada do meu lado só pelo simples fato de eu estar participando de um momento da vida de outras pessoas as quais eu aprendi a amar, se me amar, me amará por completo, se me quer, vai me querer com tudo e todos.